Vida e obra de jorge andrade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1534 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

ESCOLA TÉCNICA


















VIDA E OBRA DE JORGE ANDRADE























Curitiba
2007

Juliano Ventura


Susan Niemzyk














Vida e Obra de Jorge Andrade





História do Teatro Brasileiro
Prof ª Vanessa Curty
Curso Técnico em Artes Cênicas – ator
Turma 2006Curitiba
2007
Vida e Obra de Jorge Andrade

Aluísio Jorge Andrade Franco nasce em Barretos – SP, no dia 21 de maio de 1922. Filho de grandes proprietários rurais, ele cresce numa fazenda do interior, sentindo na própria pele a realidade do ambiente rural.
Sofre desde pequeno a incompreensão do pai, que via no filho o seu sucessor e irritava-se com o fato de elepreferir ler velhos livros a laçar bezerros. Ninguém entendia o porquê de tantas leituras, pois “o que realmente tinha valor” era a terra, o patrimônio familiar.
Vive com a família a crise do café de 1929 e vê a fazenda de seu pai encolher de 30 mil para 61 alqueires. Muito do que ele viveu nesse período viria a aparecer em suas obras futuramente.
Em 1940 abandona os estudos de direito da USPe volta a trabalhar com os pais na fazenda, onde sempre conviveu com as brigas e desentendimentos, que aumentavam a cada dia.
Aos 28 anos assiste à peça “O anjo de Pedra”, de Tennessee Williams, no TBC, onde conhece Cacilda Becker, que o aconselha a entrar na Escola de Arte Dramática. Em 1951 ele ingressa na EAD e, no mesmo ano, escreve “O Telescópio”, considerado seu primeiro texto deimportância. O texto é encenado em1957 pela Companhia Dramática Nacional no Rio de Janeiro e dirigido por Paulo Francis. O texto aponta memórias do autor, enfocando seu passado e figuras que conhecia. Em apenas um ato, exorciza os demônios familiares da aristocracia decadente em conflito com a nova geração. Esta peça ganhou o prêmio “Fábio Prado”.
A partir de então ele inicia sua Obra, escrevendo temascom verdade e grande poesia cênica, sobre a herança cafeeira e sobre a desordenada passagem do Brasil rural para o urbano, criando personagens inseridos na história. Mais tarde ele enfoca temas contemporâneos e ligados à vida metropolitana.
Além de “O Telescópio”, suas obras e premiações foram:

1952, “As Colunas do Templo” (inédita)
1955, “A Moratória” (Prêmio Saci de melhor autor). Estapeça, passada em entre os anos de 1929 e 1930, durante a crise do café, é concebida em dois planos; um deles retrata o passado, o momento em que o fazendeiro Joaquim e sua família estão prestes a receber a notícia de que vão perder a fazenda em que vivem; o outro mostra a situação posterior, em que a família está morando na cidade, na esperança de ter sua fazenda recuperada. Após esta obra, o autorganhou do governo estadunidense uma bolsa para estudar teatro. Nos EUA, conhece o dramaturgo Arthur Miller, que diz a ele: “Volte para seu país e procure descobrir por que os homens são o que são e não o que gostariam de ser e escreva sobre a diferença”.
1958, “Pedreira das Almas”, dirigida por Alberto D’aversa para o TBC (Prêmio da Associação de Críticos Teatrais – melhor autor) - retrata operíodo de esgotamento da exploração aurífera em MG durante a revolução de 1842. “Os Crimes Permitidos” (inédita).
1960, “Os Vínculos” (inédita)
1961, “A Escada” (dirigida por Flávio Rangel para o TBC). Focaliza um velho fazendeiro decadente que cria um mundo ilusório, privando-se de toda possibilidade de viver no mundo real.
1963, ”Senhora da Boca do Lixo” (proibida pela censura, sua estréia se dá emPortugal, em 66; é montada no Brasil em 68, pela atriz Eva Todor e dirigida por Dulcinéia Morais). Fala sobre uma protagonista decadente da sociedade tradicional que passa a viver de contrabando. Presa, acaba encontrando a liberdade em função das ligações com personalidades que ainda mantém.
1964, “Vereda da Salvação”, por Antunes Filho; foi revista e reformulada em 1993 pelo CPT (Centro de...
tracking img