Uso de antimicrobianos em implantodontia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2253 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FAI - Faculdades Adamantinenses Integradas

Trabalho de Implantodontia: USO DE ANTIMICROBIANOS EM IMPLATODONTIA

Aluna: Célia Maria Borges Bordin.
RA: 0128/03.
4º ano de Odontologia.


USO DE ANTIMICROBIANOS EM IMPLATODONTIA

Pode ser:

• infecção já estabelecida
• necessidade da sua prevenção

Em ambos os casos, embora o uso sistêmico de ATB seja a primeira idéia, o usodestes via de regra deve ser secundário.
“Muito mais importante que a profilaxia ou terapêutica sistêmica, as medidas de ordem local são prioritárias; isto é, a correta utilização dos meios de antissepsia”.

Para se obter sucesso em uma intervenção

Condição básica

“Prevenção de um processo infeccioso”

Através de procedimentos rotineiros.

Os procedimentos rotineiros para prevençãode um processo infeccioso, são iniciados pelo cuidadoso preparo da cavidade bucal para execução de procedimentos cruentos, reduzindo drasticamente a possibilidade da invasão bacteriana para dentro dos tecidos. São os procedimentos como raspagem supragengival, profilaxia com taça de borracha ou com ultra-som, além da antissepsia extra e intra-oral.

ANTISSEPSIA EXTRABUCAL
|Substância|Modo de usar |
|PVP-I (polivinilpirrolidona iodo) |Aplicar sob o local após diluição |
| |(uma parte de PVP-I para uma parte de água) |
|Clorexidina a 4 % |Aplicarsob o local sem diluição. |


ANTISSEPSIA INTRABUCAL
|Substância |Modo de usar |
|Digluconato de clorexidina a 0,12% |Bochechos durante um minuto, |
|(base livre a 0,067%) |previamente aoprocedimento. |
|Óleos essenciais |Bochechos durante um minuto, |
|(fenol, timol, eucaliptol) |previamente ao procedimento. |
| ||


Obviamente que esses procedimentos não esterilizam a superfície, mas visam à redução do nº de MO, particularmente bactérias e fungos presentes na cavidade bucal e na derme.

Antissépticos

PVPI

• Iodo livre (cerca de 1%) é que realmente tem atividade antimicrobiana; sendo necessário o contato com água para que seja liberada a molécula de polivinilpirrolidona.
• É eficazcontra bactérias Gram-positivas e negativas, fungos, vírus, protozoários e microbactérias;
• Seguro; não tem efeito negativo sobre a formação do epitélio e tecido de granulação em feridas, e, não induz reação sistêmica ou local, nem seleção de bactérias resistentes.
• Entretanto, pode provocar manchamento, e alergia (4% da população - Lachapelle, 2005), verificar o histórico de saúde dopaciente, avaliando cuidadosamente aqueles que relatem história de alergia a pólen, pó doméstico, picada de insetos, etc. Nestes casos a clorexidina é a alternativa mais viável.

Clorexidina

Concentração mínima eficaz = 0,12% (Clark & Guest, 1994);

• Ação bactericida e bacteriostática dose-dependente;
• Amplo espectro ação, atuando sobre bactérias Gram positivas e negativas eaeróbicas facultativas e anaeróbicas;
• Baixa toxicidade e alta substantividade;

Existem evidências que a clorexidina afeta mais os estreptococos do grupo mutans do que outros microorganismos, e concentrações menores falham em reduzir os estreptococos.

• 1 minuto de bochecho = reduz de 22 a 40% dos microorganismos viáveis após uma hora; e entre seis a oito horas há a volta ao número...
tracking img