Um estudo amostral dos seguros de carros no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3234 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Um estudo amostral
automóveis no Brasil

dos

seguros

de

Francisco Galiza
Autor do livro “Economia e Seguro: Uma Introdução”, publicado pela Funenseg

1) Introdução: Uma configuração atual do ramo
O objetivo deste texto é fazer uma análise econômica das condições
atuais do seguro de automóvel vendido no país, através de amostra de
empresas e de determinados tipos de veículos,localizados em algumas cidades
brasileiras1. Antes desta análise específica, sintetizamos a seguir a situação
deste ramo na economia brasileira.
i) Participação no setor
Pelas estatísticas oficiais, o faturamento do seguro de automóvel no
último exercício chegou a quase R$ 5,8 bilhões - recuperando-se da perda de
mercado registrada em 1996 (em 1997, a sua participação em relação a todo o
setoré de um pouco mais de 30%) -, ocorrendo esta melhora apesar da queda
na quantidade de companhias que operam neste segmento (última coluna da
tabela 1).

1

Caso haja interesse de outro trabalho nesta linha, sugerimos também o artigo Galiza, Francisco; Um
estudo comparativo simplificado de alguns planos de PPA no Brasil - sob a ótica do consumidor;
Cadernos de Seguro; Funenseg;Dezembro/97.

1

Tabela 1 - Ramo Automóvel
Ano

Faturamento *

Part. %

Empresas **

1995
1996

5,007
4,593

35,60%
30,40%

79
71

31,40%

70

5,784
1997
* Em R$ bilhões
** Com faturamento mínimo de R$ 100
mil/ano

ii) Estatísticas de produção
Uma “regra de bolso” usual e simplificada sobre os preços de seguros de
automóveis no Brasil diz que este corresponde a cerca deR$ 1 mil/ano - 80%
deste valor servindo para cobrir o próprio casco segurado e, apenas 20%, o
seguro de Responsabilidade Civil2. Deste modo, considerando-se que o
faturamento total do ramo em 1997 foi de R$ 5,8 bilhões, estimamos a frota
segurada nacional em 6 milhões de carros, um pouco acima de 25% do total
circulando no país.
iii) Custos médios do ramo
Na avaliação dos custos envolvidosna negociação dos produtos de
seguros de automóveis, amplia-se neste instante a discussão para os 3
principais ramos do setor - automóvel, vida e saúde, que representam 70% do
seu faturamento -, com a intenção de realizar um estudo comparativo entre os
mesmos.
Neste caso, o gráfico 1 apresenta a evolução do indicador (Comissões +
Sinistros)/Prêmios Ganhos para os ramos citados, no período de1995 a 1997.

2

De início, constata-se um aumento nos custos totais das empresas, aspecto já
alertado em outros trabalhos3. Na avaliação comparativa, observamos que o
caso mais crítico foi o do ramo automóvel, em trajetória crescente nestes anos;
vindo a seguir o saúde, também em comportamento crescente, mas em ritmo
inferior; e o ramo vida, em patamar estabilizado. Em vista destepadrão, os
custos diretos e médios do ramo automóvel estão bem acima dos demais. Por
exemplo, em 1997, o valor do indicador para este ramo era de 93,8%; para o
ramo saúde, 83,7%; e para o ramo vida, 75,2%.

(%)

Gráfico 1- Indicador de despesas dos ramos
100,0%
90,0%
80,0%
70,0%
60,0%
50,0%
40,0%
30,0%
20,0%
10,0%
0,0%

1995
1996
1997

TOTAL

Auto

Vida

Saúde

RamosOu seja, de um modo geral, podemos definir o seguinte retrato
simplificado do ramo automóvel, para o ano de 1998:
. Um setor com alta importância no mercado brasileiro, apesar do recente
crescimento registrado nos outros ramos (vida e saúde, principalmente).

2

Ou seja, nas condições mais usuais, um seguro total que corresponde a, aproximadamente, 10% do preço
do carro.
3
Vide FENACOR;Avaliação inicial do risco das empresas brasileiras de seguros; 1997.

3

. Ainda com um alto potencial de crescimento, pelo baixo percentual da
frota segurada nacional (¼ do total dos veículos em circulação).
. Um setor muito disputado, resultando na mais baixa margem de
rentabilidade, dentre todos os grandes ramos negociados no mercado brasileiro.

4

2) Estudos anteriores
Os...
tracking img