Tyto alba

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1655 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Tyto alba (coruja-das-torres).


Espécie cosmopolita, é muito útil por capturar um grande número de roedores. No entanto, o seu voo silencioso e fugaz e o seu grito fantasmagórico, levaram à sua associação a diversas superstições, frequentemente em seu desfavor.

Características gerais.

Ave de rapina nocturna, pertencente à Ordem dos Strigiformes e à Família Tytonidae. Tem umcomprimento de cerca de 35 cm, uma envergadura que varia entre os 85 e os 93 cm e pesa entre os 200 e os 400 gramas, sendo as fêmeas normalmente maiores do que os machos. Uma das características das corujas desta família é possuírem uma face em forma de coração. A plumagem desta espécie é branca no ventre, na face e na parte inferior das asas. As costas e a parte superior das asas são douradas,com manchas cinzentas e pintas brancas e pretas. As patas são longas e os olhos são pretos.


Distribuição.

Em Portugal, estas corujas ocorrem de Norte a Sul do país e também na Ilha da Madeira. Na Península Ibérica as densidades de Coruja-das-torres devem variar entre 1 e 50 casais por cada 50 Km2.
Esta espécie tem sofrido um declínio moderado na maior parte dos países europeus, que pareceestar associado à intensificação da agricultura, à utilização de pesticidas, ao armazenamento dos cereais em silos e à subsequente redução de roedores, ao desaparecimento de cavidades naturais e artificiais para nidificação, ao desenvolvimento das auto-estradas e ao aumento do tráfego e da mortalidade que lhe está associado. Por esta razão, a Coruja-das-torres está classificada na Europa como umaSPEC 3, ou seja, espécie cuja população global não está concentrada na Europa, mas que tem um estatuto de conservação desfavorável nesse continente.
Não obstante esta ser uma espécie sedentária na Europa, os juvenis efectuam movimentos dispersivos, que variam entre as escassas dezenas de quilómetros até muitas centenas, como atesta um jovem anilhado nos Países Baixos e recapturado emEspanha.


Habitat.

Tal como no resto da Europa, em Portugal as Corujas-das-torres habitam, preferencialmente, zonas de campos agrícolas, com sebes, taludes e matos. Frequentemente nidificam em construções abandonadas, em chaminés, armazéns ou torres de igrejas, mesmo em cidades de grande dimensão. Noutras situações, frequentam montados e soutos, recorrendo às cavidades das árvores para nidificar.Alimentação.


A coruja-das-torres alimenta-se essencialmente de ratos e musaranhos, mas também alguns pardais, rãs, lagartixas e insectos. Em época de reprodução uma casal de corujas caça cerca de 25 ratos por noite.
Depois de comerem, as corujas regurgitam pelo bico uma massa ovóide que contém tudo aquilo que não pode ser digerido pela ave – ossos , pêlos, penas. A estaregurgitação dá-se o nome de plumada ou egagrópila. A sua análise permite conhecer o regime alimentar destas rapinas, revelando uma população de pequenos mamíferos da região que de outo modo permaneceria invisível.
A baixo encontra-se um gráfico com os resultados de uma análise realizada na Quinta da Bemposta em 11/2002.




Reprodução.


A Coruja não constrói ninho. Os ovos sãodepositados pela ave nos retiros sombrios onde costuma passar o dia, sobre um tapete de regurgitações. São geralmente monogâmicas e cabe às fêmeas a incubação dos ovos, ficando os machos encarregues de trazer alimento. A postura, que pode variar entre os 2 e os 14 ovos, mais frequentemente entre 4 e 7, inicia-se em Março e dura 30 ou 31 dias. As crias permanecem no ninho entre 50 a 55 dias, etornam-se independentes 3 a 5 semanas mais tarde. Reproduzir-se-ão pela primeira vez com 1 ou 2 anos de idade. Em condições favoráveis podem fazer duas posturas por ano, sendo a segunda em Junho. Em anos maus podem não se reproduzir.




Protecção e conservação.


A alteração das construções e da arquitectura agrícola tradicional, tem provocado uma diminuição de locais para nidificação e...
tracking img