Tratamento preliminar de efluentes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1449 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIC – UNIVERSIDADE DE CUIABÁ
ENGENHARIA AMBIENTAL – 8° SEMESTRE
TRATAMENTO DE EFLUENTES

PROJETO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO
TRATAMENTO PRELIMINAR

Discentes: Tonivaldo Ramos
Josiely Cândida Rodrigues de Oliveira
Alessandro Paulino

Cuiabá-MT
Nov/2011

1. INTRODUÇÃO
O tratamento preliminar de esgotos visa, basicamente, a remoção de sólidos
grosseiros.
Não há praticamenteremoção de DBO, consiste em uma preparação do esgoto para
o tratamento posterior, evitando obstruções e danificações em equipamentos e
tubulações.
O tratamento preliminar é constituído de gradeamento e desarenação.
O gradeamento objetiva a remoção de sólidos bastante grosseiros como materiais
plásticos e de papelões constituintes de embalagens e a desarenação a remoção de
sólidos comcaracterísticas de sedimentação semelhantes à da areia, que se introduz nos
esgotos principalmente devido `a infiltração de água subterrânea na rede coletora de
esgotos.
Para o estudo da estação de tratamento de esgoto do município de Água Boa-MT,
foi considerada a seguinte população de projeto: 40.000 (hab) com uma projeção de 20
anos.
O efluente final será lançado no Alto rio das Mortes, nascoordenadas
W:-52:08:55,13 – S: -14:04:0,91 DATUM: SAD69.
Este rio está classificado como de classe II, segundo à Resolução CONAMA N° 357
/ 2005 podendo ser destinado para:
-

o abastecimento para consumo humano após tratamento convencional;

-

a proteção das comunidades aquáticas;

-

a dessedentação de animais, irrigação de lavouras, plantas frutíferas, jardins, campos
de esporte elazer, com os quais o público possa vir a ter contato direto;

-

a aqüicultura e atividade de pesca.

2. MEMORIAL DESCRITIVO
O Tratamento preliminar do esgoto é sujeito aos processos de separação dos sólidos mais
grosseiros como sejam a gradagem que pode ser composto por grades grosseiras, grades
finas e/ou peneiras rotativas, o desarenamento nas caixas de areia.
Nesta fase, o esgotoserá desta forma, preparado para as fases de tratamento
subsequentes, podendo ser sujeito a um pré-arejamento e a uma equalização tanto de
vazão como de cargas poluentes (VON SPERLING, 1996).
2.1 Medidor de vazão tipo Parshall
O medidor de vazão Parshall será instalado na saída da unidade desarenadora,
com objetivo de controlar o nível d’água.
Para atender as vazões 104,15 l/s (Qmax) e 27,77l/s (Qmin) a calha Parshall
recomendada e a de 6’’.
O resultado do rebaixo(z) será 0,095m a Hmin será 0,187 e Hmax será 0,439
2.2 Gradeamento
O esgoto sanitário será conduzido até a estação de tratamento de esgoto, através da
tubulação de coleta, onde é realizado o gradeamento do esgoto, para remoção de sólidos
grosseiros.
O gradeamento é constituído por grade fina, com limpeza manual, ondeo material
retido é removido periodicamente, devendo ser disposto em aterro sanitário.

2.3 Desarenador
A unidade desarenadora é do tipo canal com limpeza manual fica situada após o
gradeamento, a areia deve ser removida periodicamente do desarenador e acondicionada
em caçambas, para uma posterior disposição em aterro sanitário.

3. MEMORIAL DE CALCULO
Vazões de projeto
Qmax = 104,15 l/ s
Q méd = 55,55 l/s

Qmin = 27,77 l / s

3.1 Altura das Lâminas Liquida (H)
3.1.1 Medidor de vazão do tipo Parshall
Formula:
Q = K .H n , Onde:
Q= vazão (m³/s)
H= altura de água (m)
Calha Parshall recomendada 6’’
Q = vazão máxima, media e mínima.
n = 1,580 (tabelado)
k = 0,381 (tabelado)
Formula:
Q = K .H n → Q = 0,381.H 1,58 → H = 1,58

Q
0,381

 0,104 
→ H = 1,58 
→ H max = 0,439m
 0,381 

H = 1,58

Q max
0,381

H = 1,58

Qmed
 0,055 
→ H = 1,58 
 → Hmed = 0,293m
0,381
 0,381 

H = 1,58

Q min
 0,027 
→ H = 1,58 
 → H min = 0,187 m
0,381
 0,381 

Considerando:
Para Qmax 104,15 l/s = Hmax 0,439m
Para Qmin 27,77 l/s = Hmin 0,187m

3.1.2 Calculo do rebaixo (z) a entrada da calha Parshall

z=

Qmin
H −z
= min...
tracking img