Tratamento de lesoes cronicas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 45 (11044 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1 INTRODUÇÃO


A pele é o maior órgão do corpo humano, tornando-se essencial sua integridade para a vida humana a fim de cultivar o funcionamento fisiológico do organismo (SALOMÉ; ARBAGE, 2008).
Por ser um órgão externo, está aberta a modificações que podem ser ocasionadas por traumas, processos inflamatórios, degenerativos, circulatórios, distúrbios do metabolismo ou defeito deformação (CUNHA, 2006).
Essas modificações são chamadas de feridas, definidas como “o rompimento da estrutura e do funcionamento da composição anatômica normal, resultante de um processo patológico que se iniciou interna ou externamente no(s) órgão(s) envolvido(s).” (CUNHA, 2006, p. 14).
Segundo Carneiro, Souza e Gama (2010, p. 495), “as feridas podem ser crônicas com longaduração e ter frequentes recidivas, como a úlcera por pressão; e as agudas que corresponde rapidamente à cicatrização sem complicações, como as traumáticas e cortes”.
As lesões crônicas são as que mais preocupam a sociedade e a saúde pública, pois acometem uma alta parcela da população, geram custos econômicos para tratamento e causam diminuição do valor social devido à incapacidade e adependência que elas trazem (TUYAMA et al., 2004).
As úlceras por pressão (UPs) são conhecidas em todo o mundo e têm tido destaque como a ferida crônica que acomete a população de forma mais crescente. No Brasil, segundo Rangel et al. (1999 apud MENDES; SALMERON, 2010), não existem estudos englobados que lembrem a prevalência e incidência dessas lesões, mas sabe-se que o problema existe e tem sidobastante freqüente.
Úlceras por pressão, segundo Santos et al. (2010, p. 125), é definida como “área localizada de morte celular, desenvolvida quando um tecido mole é comprimido entre uma proeminência óssea e uma superfície dura por longo período de tempo, provocando a interrupção do fornecimento de sangue para a área”.
Essas feridas são conhecidas há séculos e muitas vezes foramdocumentadas como resultado de falta de cuidados do enfermeiro por ocorrerem de múltiplos fatores que podem ser prevenidos (LISE, 2007).
De acordo com Morais, Oliveira e Soares (2008 apud CARNEIRO; SOUZA; GAMA, 2010), o enfermeiro possui uma função admirável quando se refere ao cuidado do cliente portador de feridas, uma vez que possui maior contato com ele, o que deve acompanhar a evoluçãoda lesão, orientar e executar o curativo.
Assim, a atualização do conhecimento do profissional se torna necessária a fim de proporcionar ao cliente um atendimento qualificado, pois mesmo hoje com vários tratamentos sendo instituídos e principalmente métodos preventivos para úlcera por pressão sendo prontamente adotados nos pacientes com maior aptidão ao desenvolvimento das úlceras, aincidência desse tipo de lesão ainda mantém-se alta, devido a vários fatores, como por exemplo, o tempo de internação prolongado (COSTA; COSTA, 2007; MORAIS; OLIVEIRA; SOARES, 2008 apud CARNEIRO; SOUZA; GAMA, 2010). Então, a equipe de enfermagem em especial o enfermeiro tem conhecimento suficiente sobre os métodos de prevenção e tratamento de úlceras por pressão em seu estágio crônico? Esta é a questãoque será respondida no decorrer da pesquisa.


1. JUSTIFICATIVA


O tema lesões cutâneas tem sido destaque há muitos anos em diversos segmentos profissionais da área da saúde. O enfermeiro, como membro da equipe de saúde, tem se empenhado e buscado a excelência para proporcionar um tratamento eficaz e em curto prazo ao paciente com lesão crônica, a fim de trazer maior conforto eretorno à normalidade de sua vida social (DEALEY, 1990).
Atualmente, as feridas crônicas com mais destaque são as úlceras por pressão, que são ferimentos nos tecidos moles provocados pela compressão contínua e prolongada de proeminências ósseas, compressas contra superfícies compactas (PEREIRA; AGUIAR, 2007).
Essas feridas são conhecidas e muitas vezes foram documentadas como...
tracking img