Transtorno obscessivo compulsivo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1891 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A EVOLUÇÃO DA CIÊNCIA PSICOLOGICA
A história do pensamento humano tem um momento áureo na Antiguidade, entre os gregos, particularmente no período de 700 a.C. até a dominação romana, ás vésperas da era cristã. Os gregos foram o povo mais evoluído nessa época. Uma produção minimamente planejada e bem-sucedida permitiu a construção das primeiras cidades-estados (polis). Amanutenção dessas cidades implicava a necessidade de mais riquezas, as quais alimentavam, também, o poderio dos cidadãos. Assim, iniciaram a conquista de novos territórios que geraram riquezas na forma de escravos para trabalhar nas cidades e na forma de tributos pagos pelos territórios conquistados
As riquezas geraram crescimento, e este crescimento exigia soluções práticas para aarquitetura, para a agricultura e para a organização social. Isso explica os avanços que permitiram que o cidadão se ocupasse das coisas do espírito, como a filosofia e a arte. Alguns homens, como Platão e Aristóteles, dedicaram-se a compreender esse espírito empreendedor do conquistador grego, ou seja, a filosofia começou a especular em torno do homem e da sua interioridade.
O termopsicologia vem do grego psyché, que significa alma, e de logos, que significa razão. Portanto, etimologicamente, psicologia significa “estudo da alma”. A alma ou espírito era concebido como a parte imaterial do ser humano e abarcaria o pensamento, os sentimentos de amor e ódio, a irracionalidade, o desejo, a sensação e a percepção.
Os filósofos pré-socráticos preocupavam-se em definir arelação do homem com o mundo através da percepção. Discutiam se o mundo porque o homem o vê ou se o homem vê um mundo que já existe. Havia uma oposição entre os idealistas ( a idéia forma o mundo) e os materialistas (a matéria que forma o mundo).
Sócrates (469-399 a. C.) sua principal preocupação era com o limite que separa o homem dos animais. Desta forma, postulava que aprincipal característica humana era a razão. A razão permitia ao homem sobrepor-se aos instintos que seriam a base da irracionalidade. Ao definir a razão como peculiaridade do homem ou como essência humana. Sócrates abre um caminho que seria muito explorado pela psicologia. As teorias da consciência são de certa forma, frutos dessa primeira sistematização na filosofia.
Platão (427-347 a.C.) discípulo de Sócrates. Esse filosofo procurou definir um “lugar” para a razão no nosso próprio corpo. Definiu esse lugar como sendo a cabeça, onde se encontra a alma do homem. A medula seria, portanto, o elemento de ligação da alma com o corpo. Este elemento de ligação era necessário porque Platão concebia a alma separada do corpo. Quando alguém morria, a matéria (o corpo) desaparecia, mas aalma ficava livre para ocupar outro corpo.
Aristóteles (384-322 a. C.) discípulo de Platão foi um dos mais importantes pensadores da história da filosofia. Sua contribuição foi inovadora ao postular que alma e corpo não podem se dissociados. Para Aristóteles, a psyché seria o principio ativo da vida. Tudo aquilo que cresce se reproduz e se alimenta possui a sua psyché ou alma. Destaforma, os vegetais, os animais e o homem teriam alma. Os vegetais teriam a alma vegetativa, que se define pela função de alimentação e reprodução. Os animais teriam essa alma e a alma sensitiva, que tem q função de percepção e movimento. E o homem teria os dois níveis anteriores e a alma racional, que tem a função pensante.
Portanto, 2 300 anos antes do advento da psicologiacientifica, os gregos já haviam formulado duas “teorias”: a platônica, que postulava a imortalidade da alma e a concebia separada do corpo, e a aristotélica, que afirmava a mortalidade da alma e a sua relação de pertencimento ao corpo.
Ás vésperas da era cristã surge um novo império que iria dominar a Grécia, parte da Europa e do Oriente Médio: o Império Romano. Uma das principais...
tracking img