Trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 32 (7945 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capitulo 01 – A empresa mercantil, colonial e escravocrata.
1) Quais as diferenças entre as vias colonial, clássica e prussiana de constituição do capitalismo?
O capitalismo possui três vias, o caminho clássico, o prussiano e o colonial. Os países líderes do capitalismo utilizavam o caminho clássico que era uma forma sustentada de realizar a industrialização se beneficiando dos ganhos dacolônia. A via prussiana era seguida pelos países com industrialização atrasada e a vista colonial somava ao atraso democrático e econômico.

2) Como podemos caracterizar a forma de inserção da economia brasileira no cenário colonial internacional?A notícia de existência de riquezas metálicas se espalhou rapidamente por toda Europa, tornando-se essas terras alvo de invasões européias. Os portugueses tinham que fazer algo porem a economia européia que facilitaram a realização dos grandes empreendimentos capitalistas, como influencia dos árabes que introduziram novos hábitos, técnicas e conhecimentos, houvecrescimento na agricultura, avanços tecnológicos nas manufaturas, criando os produtos manufaturados a fim de gerar lucro. Essas novas realizações fizeram com que novos grupos sociais conhecessem a força econômica e financeira das atividades mercantis.

3) Quais as diferenças mais marcantes entre colônias de exploração e de povoamento? A colonização daAmérica tem em base a divisão entre colônias de povoamento que são pessoas que vão à busca de um novo lar, a fim de fugir dos conflitos na Europa, e colônias de exploração que são colônias que buscavam enriquecer para usufruir, na Metrópole, a sua nova condição, ou seja, tirar proveitos dos esforços dos outros.

4) Quais as principais características da empresa colonial?
A sociedade no período doaçúcar era marcada pela grande diferenciação social. No topo da sociedade, com poderes políticos e econômicos, estavam os senhores de engenho. Abaixo, aparecia uma camada média formada por pessoas livres (feitores, capatazes, padres, militares, comerciantes e artesãos) e funcionários públicos. E na base da sociedade estavam os escravos, de origem africana, tratados como simples mercadorias eresponsáveis por quase todo trabalho desenvolvido na colônia.Era uma sociedade patriarcal, pois o senhor de engenho exercia um grande poder social. As mulheres tinham poucos poderes e nenhuma participação política, deviam apenas cuidar do lar e dos filhos.A casa-grande era a residência da família do senhor de engenho. Nela moravam, além da família, alguns agregados. O conforto da casa-grande contrastavacom a miséria e péssimas condições de higiene das senzalas (habitações dos escravos). A empresa colonial destina-se a atender às necessidades de lucros da metrópole e da sua burguesia.
No Brasil colonial: a mão de obra usada foi à escrava; o vulto (investimento) usados necessários à instalação de um engenho tornava a atividade impossível para o pequeno produtor; não era possível atrair mão de obralivre. O africano foi escolhido. Razões da escolha: o tráfico era fonte de lucro; a escassez populacional na Europa; Portugal já tinha experiência com mão de obra africana na África, antes de descobrir Brasil.
A Igreja colocou entraves (dificuldades na escravidão do Indígena). Lucrava-se na compra do açúcar, do senhor de engenho, e lucrava-se com a venda de escravos. Vender negros era uma formade transferir riqueza da colônia para a metrópole.

5) Qual foi a influência exercida pelas idéias mercantilistas sobre a política econômica colonial?
O mercantilismo recomendava a busca de valores positivos da balança comercial e do balanço de pagamentos. Surgiu também o pacto colonial que o que as colônias produziam era de uso exclusivo da Metrópole. Logo após esse período todos...
tracking img