Trabalho unopar gestao de custos de serviços

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1189 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


















































































SUMÁRIO

1 RESUMO 3

REFERÊNCIAS 6





Resumo

A preocupação com custos centrou-se no produto durante décadas, entretanto, a necessidade das indústrias em controlar e obter os seus custos originou odesenvolvimento dos sistemas de custeio.
Com o crescimento da área de serviços na atualidade, e a necessidade de trabalhar com a rentabilidade dos clientes, e não com o lucro do produto, ocorreu uma mudança no enfoque da gestão de custos das empresas.
A apuração do custeio, devido a não adequação dos conceitos clássicos de custos às empresas de serviços, tem apresentadodificuldades, não dispondo frequentemente estas, de apoio à gestão através do sistema de custos.
Diversos autores apresentam um sistema de custo, como a combinação de Princípios + Métodos, na qual os princípios são definidos como o tipo de informação gerada e sua importância para os objetivos da empresa, e os métodos são atribuídos à maneira de obtenção da informação, dentro de umasistemática conhecida e divulgada pela empresa.
Os princípios de custeio contemplam a problemática referente à alocação dos custos fixos aos processo/produtos, sendo divididos tradicionalmente em (i) Absorção Total (ou integral), (ii) Absorção Parcial (ou ideal), e (iii) Custeio variável (ou Direto).
Conforme a consideração do nível de atividade da empresa, podemosdistinguir entre absorção total na qual divide-se a totalidade dos custos fixos aos produtos, da absorção parcial no qual distribui-se aos produtos apenas uma parcela destes custos, relativa ao nível de atividade normal da empresa, o que permite a análise da eficiência do consumo dos recursos das empresas.
O custeio direto não inclui os custos fixos no custo do produto, considerando-oscomo despesas do período. Esta na base da abordagem da margem de contribuição, que pode ser definida como “igual às receitas deduzidas de todos os custos que variam em relação ao nível de atividade” (HORNGREN et al., 2000).
Dentre os métodos de custeio existentes, destacam-se os tradicionais, que são Custo-padrão e Centro de custos, e os modernos, Unidades de esforço de produção (UEP)e Custeio baseado na atividade (ABC).
O método do custo–padrão, de origem americana, objetiva estabelecer padrões físicos e monetários para uma produção e consumo eficientes, sendo utilizado para determinar custos variáveis para composição do cálculo da margem de contribuição.
O método dos centros de custos, de origem alemã, e sendo provavelmente a técnica de alocaçãode custos aos produtos mais utilizada no Brasil e no mundo (KLIEMANN NETO, 1993), abrange duas fases, sendo que na primeira divide-se a empresa em centros de custos e distribuem-se os itens de custos nestes centros, podendo-se apurar os custos totais do período em cada um dos mesmos, e na segunda, os recursos são alocados dos Centros Produtivos aos produtos, através dos custos dos Centros comunssendo distribuídos pelos diversos centros em que incidem, e os custos dos Centros Auxiliares distribuídos pelos Centros produtivos que utilizam seus serviços. Desta maneira, grande parte dos custos dos centros produtivos é indireto, sendo necessário uma redistribuição destes custos, de maneira mais precisa possível, entre os centros produtivos, e sendo este fato ponto gerador de distorções, devidoao uso de poucos critérios de rateio e falta de uma relação lógica entre os serviços prestados e os centros usuários dos serviços.
Com origem na II Guerra Mundial, o método UEP, com base no estudo de uma unidade única para medir produções diversificadas, pelo engenheiro francês Georges Perrin, sendo que uma das formas de solução do problema através da utilização de sistemas de...
tracking img