Trabalho sobre rede de esgoto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 41 (10016 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZONIA
ENGENHARIA DE CONTROLE AUTOMAÇÃO

RONALD MOREIRA
FRASCINEY NEVES
AUGUSTO GIOVANNE

POLUIÇÃO DAS ÁGUAS

BELÉM
2010
INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZONIA
ENGENHARIA DE CONTROLE AUTOMAÇÃO

RONALD MOREIRA
FRASCINEY NEVES
AUGUSTO GIOVANNE

POLUIÇÃO DAS ÁGUAS

Trabalho apresentado à disciplina Educação Ambiental, com requisitoparcial para obtenção de nota 3°avaliação.

Prof°. Leonardo Neves

BELÉM
MAIO/2010

Sumário
INTRODUÇÃO 5
1.Características dos Esgotos, Necessidades de Tratamento 6
1.1.Características dos Esgotos 6
1.2.Aspectos Legais 7
1.3. Concepção das Estações de Tratamento de Esgotos 7
2. Tratamento Preliminar de Esgotos 8
2.1.Considerações Iniciais 8
2.2. Gradeamento 8
2.3.Desarenação (caixas de retenção de areia) 9
3. Decantadores de esgotos 9
3.1. Considerações Iniciais 9
3.2. Sedimentação no Tratamento de Esgotos 10
3.3. Tipos de Decantadores 11
4. Processo de Lodos Ativados 12
4.1. Considerações Iniciais 12
4.2. Aspectos de Microbiologia 12
4.3. Variantes do Processo de Lodos Ativados 12
4.4. Sistemas de Aeração 13
4.5. Câmaras Anóxicas 13
5. Sistemasde Lagoas Aeradas Mecanicamente Seguidas de Lagoas de Decantação 14
5.1.Considerações Iniciais 14
6. Sistemas de Lagoas de Estabilização 14
6.1. Considerações Iniciais 14
6.2. Lagoas Anaeróbias 15
6.3. Lagoas Facultativas Fotossintéticas 16
6.4. Lagoas de Maturação 16
7. Filtros Biológicos Aeróbios 16
7.1. Considerações Iniciais 16
7.2. Bioquímica e Microbiologia 17
8.Tratamento Anaeróbio de Esgotos 18
8.1. Considerações Iniciais 18
8.2. Tratamento Aeróbio Versus Tratamento Anaeróbio 19
8.3. Microbiologia e Bioquímica 20
8.4. Condições Ambientais e Controle dos Reatores 20
9. Tratamento de Lodo 21
9.1. Considerações Iniciais 21
9.2. Etapas do tratamento de lodo 21
9.3. Adensamento de lodo 22
9.4. Digestão de Lodo 22
9.5. Desidratação de Lodo 23INTRODUÇÃO
Atualmente no Brasil, parte do esgoto produzido são coletados através de redes, mas apenas uma pequena parte dela é tratada. Ocasionando em um grande volume de esgoto sendo lançado nos rios e mares sem tratamento servindo como corpos receptores. Desencadeando a poluição das águas, que muitas das vezes são utilizadas para uso humano, encarecendo cada vez mais sua captação para oabastecimento.
O principal objetivo do tratamento de esgoto é a remoção dos principais poluentes presente das águas residuarias(esgoto) repondo ao corpo d’água sem alteração de suas propriedades físicas e químicas.
As águas residuárias são compostas por esgotos sanitários e industriais, onde se houver casos de geração de efluentes muitos tóxicos, devem ser primeiramente tratado na própria industriapara evitar contaminação do meio.
O método mais utilizado para definir um esgoto sanitário e industrial é a demanda bioquímica por oxigênio – DBO. Aplicada na carga orgânica retirada de uma estação de tratamento de esgoto, onde se verifica a eficiência das estações, tendo como relação: quanto maior a DBO maior a poluição orgânica.
Para se obter um tratamento de esgoto deve-se levar emconsideração as diversas varáveis do esgoto a ser tratado, tais como a vazão, o pH, a temperatura, o DBO, a viabilidade do sistema, etc.

1. Características dos Esgotos, Necessidades de Tratamento
1.1. Características dos Esgotos
Para Oliveira carvalho, Mattiazzo, Marciano Roberto e Moraes Oliveira(2001) o tratamento de esgoto significa uma forma de se adquirir benefícios para o sistema agrícolajá que o lodo ocasionado pelo esgoto poderia ser usado como melhorias nas propriedades físicas e químicas do solo.
Segundo Borsoi, Camisão, Lanari, Torres Solange, Gomes mures(2002) a composição do esgoto são bastantes variáveis, demonstrando maior teor de impurezas durante o dia devido o consumo ser maior do que a noite. Destacando a meteria orgânica, em especial as fezes humanas,...
tracking img