Trabalho interdisciplinar individual

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1227 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sistema de Ensino Presencial Conectado
CURSO DE PEDAGOGIA

nome da pessoa

O PAPEL DA ESCOLA E DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO COMO AGENTE ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA SOCIEDADE
MAIS JUSTA E DEMOCRÁTICA

Uberaba
2012

nome da pessoa

O PAPEL DA ESCOLA E DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO COMO AGENTE ESSENCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA SOCIEDADE
MAIS JUSTA E DEMOCRÁTICATrabalho apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, exigência das disciplinas Processo Educativo no Contexto histórico, Psicologia da Educação I, Teoria Geral do Conhecimento e Sociologia da Educação, como requisito parcial para obtenção de nota.

Professores...



Uberaba2012

O papel da escola e do profissional da educação como agente essencial para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e democrática

INTRODUÇÃO

Mediante os estudos realizados no decorrer deste semestre foi possível perceber que a escola brasileira passou por várias mudanças regidas por muitas legislações que proporcionaram avanços significativos, especialmente no que diz respeitoà democratização, visando oferecer ao educando um ensino de qualidade.
Portanto, é importante se pensar a escola na sua totalidade, sobretudo na sua relação com o sistema educacional e social, considerando que a função da escola é formar cidadãos críticos e capazes de serem sujeitos históricos, ou seja, é fazer uma educação de qualidade para a maioria, preparando o educando para exercer suacidadania.
Na atualidade encontramos dois tipos de escolas. Primeiramente, escolas que mantém uma pedagogia conformista e alienante, que sustenta a visão de que a vida é um movimento rigorosamente pré-ordenado de realização da necessidade de reprodução ampliada deste mundo globalizado e capitalista em que estamos inseridos. Essa idéia de que uma dominação qualquer de padrões de comportamento ou depráticas legitima as ações que delas decorrem, sendo violentamente contrária à do direito à autonomia e, analogicamente, uma ideia de cidadania que se baseie apenas na adesão a padrões e critérios definidos por uma cultura dominante que só pode ser compreendida como exercício de violência e como produção de exclusão (OLIVEIRA, 2003).
Paralelamente temos uma escola participativa e democrática, aescola cidadão, que é um espaço racional de superação lógica, em que a cidadania se efetiva radicalmente e os educadores e educandos abraçam aqueles valores próprios da modernidade.
Assim, percebe-se que a cultura nas salas de aula evidencia-se mediante a reprodução e transformação no cotidiano escolar.

O FAZER PEDAGÓGICO

No fazer pedagógico, esses modelos acima citados se misturam com arealidade do educando, incorporando as múltiplas culturas (alunos e professores), os valores transmitidos e valores questionados, gerando contradições entre modelos pedagógicos e sociais que coabitam o espaço escolar e interferem nas relações entre os sujeitos e, portanto, nos processos de aprendizagem e de formação da cidadania.
Mas, em seu dinamismo e diversidade, percebe-se que as escolas citadastem procurado desenvolver formas de relacionamento multicultural bem mais democráticas e igualitárias. São propostas que incluem novas concepções pedagógicas, sobretudo em modos de avaliação que reúnem atitudes, produção estética ou diálogos mais realistas entre a vida cotidiana e os saberes formais.
Entretanto, muitas são as dificuldades das escolas para romper com o instituído pelo sistemaeducacional vigente em seus regimentos e abraçar propostas e práticas pedagógicas transformadoras. Ou seja, por mais que se avance na direção de abraçar a diversidade do cotidiano como espaço/tempo de aquisição de conhecimentos e por mais que algumas propostas oficiais incorporem esses avanços, no cotidiano das salas de aula, as dificuldades de mudança são imensas.
Cabe ainda, ressaltar que as...
tracking img