Todos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2154 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO

1. INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO
1.1BREVE RELATO HISTÓRICO
1.1.1 ANTIGÜIDADE
(A) As técnicas de pavimentação evoluíram com os meios de transporte terrestre Evolução (B) Andando Animais Veículos com tração animal ⇒ surgimento da roda

Os veículos com rodas de madeira necessitavam de superfícies revestidas Civilizações Mesopotâmia (3500 a.C.) Egito (3000 a.C.) Ilhade Creta (1500 a.C.) Incas, Maias e Astecas

Exemplo: Estrada Real - Babilônia (C) 2824 km (SE Ásia e Ásia Menor) Concluída em 323 a.C. (400 anos p/ concluir) 93 dias de percurso (30 km/dia)

Os veículos com rodas de aço necessitavam de estruturas mais resistentes Civilizações Grécia Império Romano Exemplo: Via Ápia 1ª. Estrada construída de maneira científica Espessura superiores a 1,0 m(Pavimento maciço) 3 a 4 camadas de pedras assentadas manualmente

. . . . . . . .. . .
h > 1,0m

SUMMUM DORSUN - Placas rejuntadas c/ argamassa e cal NUCLEUS - Pedra e cal

STATUMEN - Pedras placas RUDUS - Detritos de pedras

INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO/1

TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO

IDADE MÉDIA - abandono e pouca inovação INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO/2

TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO1.1.2 PÓS-RENASCENÇA
(A) Tresaguet (1716 - 1796) Estruturas mais leves Bases bem drenadas (Drenagem) Manutenção contínua (Manutenção)

pedras grandes achatadas Pedras menores blocos justapostos h < 50cm

(B) MacAdam (1756 - 1836) e Telford (1754 - 1834) - Importância da compactação - Estabilização granulométrica - Revestimentos mais confortáveis - cascalhos, paralelepípedos. TELFORD

-INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO/3

TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO
MACADAM

Núcleo do Pavimento da Macadam

1.1.3 ERA MODERNA Séc. XIX (1ª Metade): Ferrovias Séc. XIX (2ª Metade): Goodyear (pneus), Dumlop (vulcanização), Daimler (motor) 1890 - Penhard / Lassar - automóvel de benzina Séc. XX: (Evolução Tecnológica do automóvel) 1905: Asfalto 1909: Placas CCP / Ford (linhas de produção) 1920: HRB(fundamentos Mec. Solos e Pavimentação) 1940: USACE (esforços de querra) 1950: WASHO (início das Pistas Experimentais) 1960: AASHO → Manuais 66/72/86/93/2000 1982: Estudos HDM (desempenho de pavimentos) 1993: SHRP (Pesquisa de caráter mundial)

-

Séc. XXI: (exigências cada vez mais crescentes)

INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO/4

TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO 1.1.4 SITUAÇÃO ATUAL NO BRASIL

REDERODOVIÁRIA NACIONAL (Km)
RODOVIAS PAVIMENTADAS NÃO PAVIMENTADAS 14.484 TOTAL

Federais

56.139

70.623

Estaduais Municipais TOTAL

91.892 16.994 165.025

116.126 1.429.296 1.559.906

208.018 1.446.290 1.724.931

Fonte: DNIT 2000

Mau 17%

Péssimo 7%

Excelente 12% Bom 25%

Não
Considerado

7%

Regular 32%

- É um fato amplamente reconhecido que as condições em que seencontram grande parte da rede rodoviária nacional deixam bastante a desejar, devido a falta de recursos específicos destinados a conservação oportuna e as deficiências institucionais, agravada pela falta de controle de carga por eixo. - O auge da construção de rodovias, que ocorreu durante as décadas de sessenta e setenta, originou uma infra-estrutura que deteriorou-se intensamente nos anosoitenta, conseqüência das diferentes crises econômicas enfrentadas pelo país. Não obstante os esforços realizados na década de noventa, ainda são enormes os atrasos em conservação.

INTRODUÇÃO À PAVIMENTAÇÃO/5

TRANSPORTES B – PAVIMENTAÇÃO

-

Extensas redes de estradas, construídas a um grande custo, não tem sido devidamente conservadas e estão sendo utilizadas intensamente e inadequadamente.Como resultado disto, atualmente, o estado da maior parte das rodovias encontra-se de regular a ruim, com tendência à deterioração acelerada e ao conseqüente acúmulo crescente de atrasos na conservação. Algumas rodovias estão em estado tão ruim que a atividades de conservação não bastariam e nem seriam eficazes. Para a recuperação dessas rodovias em condições precárias, seriam necessários...
tracking img