Tipos de choques

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1356 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
TIPOS DE CHOQUES

Choque Hipovolêmico
O choque hipovolêmico é caracterizado pela perda de grandes quantidades de sangue e líquidos, que pode levar à morte em poucos minutos. Uma das causas do choque hipovolêmico é a hemorragia, mas outras situações aparentemente menos graves também podem gerar este tipo de choque. Para o seu tratamento recomenda-se a reposição de líquidos (sangue – plasmasanguíneo) o mais rápido possível.
Causas
O choque hipovolêmico também pode ser causado por perdas de líquidos como vômitos intensos, em caso de acidentes, cólera, forte diarreia e em caso de inflamações.
Tratamento
O tratamento para o choque hipovolêmico é feito através da transfusão sanguínea e /ou administração de soro na veia, sendo fundamental parar a causa do sangramento, ou a situação queleva à perda de líquidos.
A morte causada pelo choque hipovolêmico só ocorre se a quantidade de sangue e líquido perdida corresponder a 1/5 do volume total da quantidade de sangue de um ser humano, que corresponde a aproximadamente a 1 litro de sangue.
CHOQUE CARDIOGÊNICO
O choque cardiogênico acontece se o coração subitamente não conseguir bombear suficientemente sangue rico em oxigênio para ocorpo. Ela mais comumente ocorre se a câmara esquerda inferior do coração, o ventrículo esquerdo, subitamente para de funcionar porque um ataque cardíaco em progresso previne o músculo cardíaco de obter suficiente sangue rico em oxigênio. Como resultado, o músculo cardíaco enfraquecido não consegue bombear suficiente sangue rico em oxigênio para o resto do corpo.
Sem sangue rico em oxigênioalcançando os principais órgãos do corpo, várias complicações podem ocorrer. Quanto menos tempo a pessoa ficar em choque cardiogênico, menores serão os danos aos seus órgãos. Por isso é muito importante obter tratamento de emergência o mais rápido possível.
Uma série de condições pode levar à síndrome do choque cardiogênico:
Infarto agudo do miocárdio, envolvendo o ventrículo esquerdo e/ou o direito;complicações mecânicas, como insuficiência mitral, ruptura de septo interventricular, aneurisma de ventrículo esquerdo, ruptura de parede livre,etc.
Tratamento
Quando ocorre por deficiência aguda do enchimento cardíaco, por obstáculo mecânico, o tratamento é cirúrgico. Em caso de choque por deficiência aguda do esvaziamento cardíaco por obstáculo mecânico (Ex.: embolia pulmonar), o tratamentodeve ser cirúrgico. Quando ocorre por comprometimento miocárdico (miocardite aguda, IAM) é necessário monitorização hemodinâmica do paciente e uso de drogas.
A estratégia no tratamento do choque cardiogênico deve ser iniciada, o mais precocemente possível, com agentes farmacológicos, além da instalação do balão intra-aórtico, seguida de terapêutica definitiva por angioplastia coronária oucirurgia de revascularização miocárdica. Essa estratégia tenta alterar as elevadas taxas de mortalidade hospitalar em pacientes com choque cardiogênico pós-infarto agudo do miocárdio.
O CHOQUE OBSTRUTIVO
É decorrente de distúrbios que causam obstrução mecânica ao fluxo sanguíneo através do sistema circulatório central, apesar de a função miocárdica e o volume intravascular estarem normais. Exemplos:embolia pulmonar, tamponamento cardíaco, aneurisma dissecante da aorta epneumotórax hipertensivo.
Sintomas

Débito cardíaco diminuído caracterizado por agitação, cianose, dispnéia, angina, oligúria, relacionado a perfusão e oxigenação inadequadas dos órgãos e tecidos.
Fadiga caracterizada por incapacidade de manter as rotinas usuais, irritabilidade, inquietação, relacionada a oxigenaçãoinadequada do tecido, secundária a disfunção miocárdica.
Intolerância à atividade caracterizada por dispnéia, taquicardia, taquisfigmia, fadiga, fraqueza, relacionada ao comprometimento do sistema de transporte do oxigênio.
Ansiedade caracterizada por insônia, fadiga, fraqueza, sudorese, inquietação, irritabilidade relacionada a modificação do ambiente secundário à hospitalização.
Tratamento
É um...
tracking img