Tipos de choque

Introdução

O choque é um distúrbio ameaçador a vida com inúmeras causas subjacentes.caracteriza-se pela perfusão tecidual inadequada, que quando não tratada, resulta em morte celular. A enfermeira que cuida do paciente em choque ou em risco de choque deve compreender os mecanismos subjacentes desse distúrbio e reconhecer seua sinais sutis tão bem quanto os óbvios. O fluxo sanguíneo adequadopara os tecidos e células requer os seguintes componentes:bomba cardíaca adequada, vasculatura ou sistema circulatório efetivo e volume sanguíneo apropriado.
O choque pode ser dividido em quatro grandes áreas:
Choque destrutivo ou inflamatório-é quando há uma distribuição de volume anormal como o séptico e neurogênico.
Choque hipovolêmico- caracteriza-se pela perde de volume plasmático; como emhemorragias e insuficiências adrenais.
Choque cardiogenico- e quando o índice cardíaco cai abaixo de 2L\min\m² e a pressão capilar pulmonar é amior que 20mmHg. Pode ser causada por doença miopatica ou mecânica cardíaca; arritimias,lesões valvulares.

Choque hipovolêmico
Pode ser causado por perdas líquidas externas, como na hemorragia, ou por deslocamentos de líquidos internos, como nadesidratação grave, edema grave ou ascite. O volume intravascular pode ser reduzido pela perda de liquido e pelo deslocamento de liguido entre os compartimentos intravascular e intersticial.
A sequencia de eventos no choque hipovolêmico começa com uma diminuição no volume intravascular. Isso resulta em diminuição do retorno venoso do sangue para o coração e subsequente enchimento ventricular diminuído. Obaixo enchimento ventricular resulta em volume sistólico( quantidade de sangue ejetada pelo coração) e debito cardíaco diminuídos. Quando o debito cardíaco cai, a pressão arterial cai, a pressão arterial cai e os tecidos não podem ser perfundidos de maneira adequada.

Sinais e sintomas

Os principais sinais e sintomas desse tipo de choque são:palidez com pele fria,pulsos finos,taquicardia,hipotensão, taquipnéia,fadiga ventilatória, agitação psicomotora e ate coma. No trato gastrointestinal poderá acorrer sangramento, distenção de alças, aumento ou diminuição de ruídos hidroaéreos. A função renal pode manifestar-se com oligúria ou poliúria como no diabetes insipidus.

Tratamento

O tratamento do paciente com choque hipovolêmico tem como principal objetivo restaurar o volumeintravascular para reverter a sequencia de eventos que conduzem a perfusão tecidual inadequada, redistribuir o volume hídrico e corrigir a causa subjacente da perda hídrica o mais rapidamente possível. Dependendo da gravidade do choque e do dsiturbio do paciente, é provável que sejam empreendidos esforços para alcançar simultaneamente todos os objetivos. Quando o paciente está com hemorragia, são feitosesforços para estancar o sangramento. Isso pode envolver a aplicação de pressão no sítio hemorrágico ou cirurgia para conter o sangramento interno. Quando a causa da hipovolemia é a diarreia ou os vômitos, os medicamentos para tratar essas condições são administrados.
Na reposição hídrica e sanguínea primeiramente devem ser instalados dois acessos intravenosos que permitem a distribuiçãosimultânea de liquido e de derivados do sangue. É necessário administrar líquidos que permaneçam dentro do compartimento intravascular evitando assim a criação de deslocamento de líquidos do compartimento intravascular para o intracelular.

Choque cardiogenico

Ocorre quando a capacidade do coração em se contrair e bombear o sangue esta comprometida e o suprimento de oxigênio é inadequado para ocoração e para os tecidos. As causas do choque cardiogenico são conhecidas como coronarianas ou não-coronarias. O coronário é mais comum, sendo observado com maior frequência nos pacientes com infarto do miocárdio. O choque cardiogenico ocorre quando uma quantidade significativa do miocárdio ventricular esquerdo foi destruída. Os pacientes que vivenciam um infarto da parede anterior do miocárdio...
tracking img