Tijolo feito de entulho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2344 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FINAC - Faculdade Nacional
Alceu
Geralina
Gilberto dos Santos Lopes






ARQUITETURA BIOCLIMÁTICA














VITÓRIA – ES, MARÇO DE 2010
FINAC - Faculdade Nacional
Alceu
Geralina
Gilberto


ARQUITETURA BIOCLIMÁTICATrabalho de Pesquisa da Matéria de Conforto Ambiental do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade Nacional.
Professor: Ricardo Maioli













VITÓRIA – ES, MARÇO DE 2010A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.
Albert Einstein
RESUMO

O presente trabalho de pesquisa versa sobre uma síntese do que vem a ser a Arquitetura Bioclimática e logicamente a sua importância para a sustentabilidade e o bem estar das pessoas que dela dependam e de seu entorno.Palavras-chaves : Arquitetura Bioclimática, Arquitetura Sustentável, Eficiência Energética, Materiais e Obras.












































1. INTRODUÇÃO


(Maurício Andrés Ribeiro - Palestra sobre o livro Ecologizar, 4ª edição, lançado na posse do IAB-MG, em Belo Horizonte, em 10 de março de 2010. - www.ecologizar.com.br / [pic]mandrib@uol.com.br)
Em 1972 se realizou a conferência de Estocolmo sobre o ambiente humano. Na década de 70 houve as crises do petróleo, que chamaram a atenção para a finitude desse recurso e para a necessidade de se repensar a matriz energética.
Os arquitetos foram chamados a pensar a arquitetura bioclimática e o tema da energia e em como projetar com o clima, a ventilação, ailuminação a sombra e o ar na arquitetura tropical. Diante da crise climática e ambiental, cresceu a consciência da necessidade de agir para neutralizar ou contrabalançar os processos destrutivos que ocorrem no planeta e para evitar custos maiores associados com a não ação. Essa percepção e consciência no Brasil tiveram um primeiro impulso na Rio-92.Em 2007, o tema climático entrou com força na agenda.A partir daquele ano, no mundo todo, houve uma explosão de consciência, induzida pelos relatórios do IPCC Painel Intergovernamental sobre mudanças climáticas que afirmavam que inequivocamente a ação humana as causava; e por filmes que comunicavam de forma clara esses problemas tais como Uma verdade inconveniente, de Al Gore, e O dia depois de amanhã, de Roland Emmerich. O IPCC – PainelIntergovernamental de Mudanças Climáticas identificou na área do ambiente construído grandes possibilidades para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

O tema ambiental deixou de ser periférico, de interesse de uma minoria, por razões de ética ecológica e defesa da vida; passou a ser central, com forte componente econômico e de segurança, pois cresce a percepção dos custos e dos riscos envolvidoscom as mudanças climáticas.

Os arquitetos projetam, normalmente, levando em consideração aspectos estéticos e plásticos, aspectos de custos e prazos de execução das obras. Mas precisam cada vez mais ser ecologicamente conscientes de que o seu ato de projetar provoca impactos ambientais, sobre o consumo de energia, sobre o clima. O arquiteto ecologicamente consciente e responsável leva emconsideração tais aspectos quando escolhe um partido arquitetônico, quando posiciona a edificação no terreno, quando conhece os ventos dominantes e a direção do sol, quando especifica materiais. Assim também, em todas as operações envolvidas na concepção, no detalhamento de um projeto arquitetônico ou urbanístico e no acompanhamento de sua execução.

Como arquitetos,que seremos, dispomos de uma...
tracking img