Teoria de saviny e ihering

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (432 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
TEORIA DE SAVIGNY (TEORIA SUBJETIVA)
Em sua obra “Traité de laPossession”, Savigny entende que para haver a POSSE sãonecessários dois elementos constitutivos, são eles:
-O poder físico sobre a coisa– o fato material de ter esta à sua disposição, ou seja, adetenção da coisa(corpus).
.-A intenção de tê-la como sua – a intenção de ter sobre ela o direito de propriedade(animus).Para ser possuidornão basta deter a coisa, requer-se ainda o animus dominiou animus remsibihabendi.

Porém, vale lembrar que Savigny destaca que estes elementos, isoladamente, nãoconstituem a posse. Pois em caso deque não haja o poder físico(corpus), mas apenas aintenção, que por sua vez não se exterioriza, ocorre tão somente um fenômeno de natureza psíquica, sem surtir efeito na esfera jurídica.Também se houversomente ocorpus, semanimus, tem-se a mera detenção, que é possenatural, mas não jurídica.
TEORIA DE IHERING (TEORIA OBJETIVA)
Para ele, para constituir a posse, basta ocorpus, dispensando oanimus,não por considerar que a vontade deve ser banida, mas por entender que este elemento está implícito no poder de fato exercido sobre a coisa. Afinal, ocorpus, sem dúvida é o único elemento visívelesuscetível de comprovação e que por sua vez, encontra-se inseparavelmente vinculado aoanimus.

Vale destacar que Ihering vê uma estreita correlação entre propriedade e posse pois para ele, onde podehaver a propriedade também pode haver a posse. Afinal, segundo a suavisão, o resumo de toda a teoria possessória é dizer que a posse é a exteriorização da propriedade, a visibilidade do domínio, o poderde dispor da coisa enfim, ter tudo feitocomo proprietário.
A TEORIA DE IHERINGfoi à adotada pelo nosso Código Civil Brasileiro. Sem dúvidaalguma, a prova mais fugaz disto é o art. 485 C.C. ondeaclara que se considera possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno, ou não, de algum dos poderes inerentes aodomínio, ou propriedade.
Defende ainda que a posse é um direito, um interesse...
tracking img