Teoria classica do comercio internacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1230 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Mercantilismo
Doutrina econômica que caracteriza o período histórico da Revolução Comercial (séculos XVI-XVIII) marcado pela desintegração do feudalismo e formação dos Estados Nacionais

• Na visão mercantilista uma nação seria tanto mais rica quanto maior fosse sua população e seu estoque de metais preciosos

Poder militar para o Estado

Acúmulo de riquezas (ouroe prata) para a burguesia (em contraposição à posse de terras pela Igreja e pela nobreza).

• Princípios básicos da política mercantilista

– O Estado deve incrementar o bem-estar nacional, ainda que em detrimento dos vizinhos e das colônias (o comércio é uma atividade de “soma zero”).

– A riqueza da economia depende do aumento da população e do aumento do volume demetais preciosos no país.

– O comércio exterior deve ser estimulado, pois é por meio de uma balança comercial favorável que se aumenta o estoque de metais preciosos.

– O comércio e a indústria são mais importantes para a economia nacional que a agricultura.

• O mercantilismo era mais um doutrina política do que uma teoria econômica stritu senso, com objetivos não sóeconômicos como também político-estratégicos.

• Em resumo advogava:

– Intenso protecionismo estatal
– Ampla intervenção do Estado na Economia

• Sua aplicação variava conforme a situação do país, seus recursos e modelo de governo.

– Na Holanda, o poder do Estado era subordinado às necessidades do comércio.
– Na Inglaterra e na França ainiciativa econômica estatal constituía o outro braço das intenções militares do Estado.

Teoria das Vantagens Absolutas

• Adam Smith (1723-1790) em Riqueza das Nações (1776) estabeleceu as bases do moderno pensamento econômico a respeito das vantagens do comércio.

• Para ele, “a riqueza não consiste em dinheiro, ou ouro e prata, mas naquilo que o dinheiro pode comprar” (teoria dovalor-trabalho).

• Para Adam Smith , a falha dos mercantilistas foi não perceber que uma troca deve beneficiar as duas partes envolvidas no negócio, sem que se registre necessariamente, um déficit para uma das nações envolvidas.

• Sua teoria das vantagens absolutas atestava que o comércio seria vantajoso sempre que houvesse diferenças de custos de produção de bens entre países.

• Ocomércio se justificaria apenas quando fosse mais barato adquirir itens produzidos em outra economia.

• Diz-se que um país tem vantagem absoluta na produção de um determinado bem ou serviço se ele for capaz de produzi-lo e oferecê-lo a um preço de custo inferior aos dos concorrentes.

• Na visão de Adam Smith esta vantagem absoluta decorreria da produtividade do trabalho, que estárelacionada com a especialização.

• No caso de produtos agrícolas, a condição climática favorável é fundamental.

• Hipóteses:

• 2 países no mundo: B –W

– 2 produtos
• M – Produtos industrializados
• X – Produtos agrícolas

– 1 fator de produção
• L – Trabalho
– Valor das mercadorias• Quantidade de trabalho (L)

– Coeficiente técnico de produção: horas trabalhadas

– Os países B e W têm 1.200 horas de trabalho disponíveis

[pic]

- O país B tem vantagem absoluta na produção de X
- O país W tem vantagem absoluta na produção de M

[pic]

Cada país se especializa na produção do bem no qual tem vantagem absoluta

[pic]

• Oaumento nas quantidades consumidas de bens caracteriza o que se denomina benefícios ou ganhos de comércio

• Problemas não resolvidos por Smith:

– a proporção em que seriam feitas as trocas entre os dois países, ou seja, quais seriam os termos de troca ou relações de troca entre as mercadorias X e M.

– O que aconteceria se um país não produzisse nenhuma mercadoria a...
tracking img