Solos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3234 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
3. Compactação
O estudo da técnica e controle da compactação é relativamente recente e tem sido
desenvolvido principalmente para a construção de aterros.
A compactação é um processo no qual se visa melhorar as propriedades do solo
garantindo certa homogeneidade, procedendo-se a eliminação do ar.
3. 1 – Introdução:
Porter desenvolveu a teoria de compactação para verificar a influência doteor de
umidade na qualidade final de um solo compactado.
Ralph Proctor, em 1933, publicou uma série de artigos, divulgando o seu método de
controle de compactação, baseado num novo método de projeto e construção de
barragens de terra compactadas que estava sendo empregado na Califórnia; onde é
apresentado que a densidade com que um solo é compactado, sob uma determinada
energia de compactação,dependo do teor de umidade no momento de compactação.
3. 2 – Ensaios de Compactação
3. 2.1 – Introdução Teórica
Proctor desenvolveu um ensaio dinâmico para determinação experimental da curva de
compactação (massa específica aparente seca (γs) versus teor de umidade (h)) (figura
3.1).

γs (g/cm³)

γs máx
ramo
seco

ramo
úmido

hot

h (%)

Figura 3.1 – Curva de compactação
Nafigura 3.1, no ponto de inflexão da curva determinamos o teor de umidade ótimo
(hot) que representa que se um solo for compactado com a energia do ensaio, nesse
teor de umidade ele apresentará a massa específica aparente seca máxima.
O ramo ascendente da curva de compactação é denominado ramo seco e o ramo
descendente, de ramo úmido. No ramo ascendente, a água lubrifica as partículas efacilita o arranjo destas, ocorrendo por essa razão, o acréscimo da massa específica
aparente seca. Já no ramo descendente, a água amortiza a compactação e começa a
ter mais água do que sólidos, sendo por essa razão que a massa específica aparente
seca decresce.
Rita Moura Fortes
1/12

Para uma mesma energia, solos de granulometria diferente apresentam valores de
teor de umidade ótimos e massaespecífica aparente seca máxima na ordem de
grandeza da tabela 3.1, resultando em curva de compactação conforme estão
dispostas na figura 3.2.
Tabela 3.1. – valores médios de teor de umidade ótimo e da massa específica aparente
seca máxima dos solos, conforme sua granulometria.
Granulometria
hot (%)
γsmax. (kg/ m³) médios
Areias
7 a 12
2000
Siltes
18 a 25
1600
Argilas
30 a 40
1300γs(g/cm³)
areia
silte
argila

h
Figura 3.2 – curvas de compactação de solos compactados com a mesma energia.
Já de acordo com a energia aplicada as curvas de compactação de um solo se dispõe
segundo a figura 3.3.
γs(g/cm³)

E

h (%)
Figura 3.3 – Curvas de compactação de um mesmo solo compactado com energias
diferentes.
Rita Moura Fortes
2/12

O ensaio de Proctor é normalizadopelo método de ensaio NBR 7182, sendo que as
energias especificadas na norma são: normal, intermediária e modificada, variandose com esta finalidade, as dimensões do molde e do soquete, número de camadas e
golpes, conforme pode ser observado na tabela 3.2.
Tabela 3.2 – Características inerentes a cada energia (compilado da NBR 7182).
Cilindro
Pequeno

grande

Característica inerentes acada energia de
compactação
Soquete
Número de camadas
Número de golpes por camada
Soquete
Número de camadas
Número de golpes por camada
Altura do disco espaçador (mm)

Normal

Energia
Intermediária

Modificada

Pequeno
3
26
grande
5
12
63,5

Grande
3
21
grande
5
26
63,5

Grande
5
27
grande
5
55
63,5

O ensaio pode ser realizado de cinco maneiras: com ou semreuso de material, sobre
amostras preparadas com secagem prévia até a umidade higroscópica ou sobre
amostras preparadas a 5 % abaixo da umidade ótima presumível ou sem reuso de
material, sobre amostras preparadas a 3 % acima da umidade ótima presumível.
Na figura 3.4 está apresentado a preparação da amostra desde a secagem ao ar livre,
destorroamento até a umidificação para obtenção de...
tracking img