Soja

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1172 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
06/06/2012

DEFINIÇÃO E ORIGEM DA SOJA


A soja é uma leguminosa de aspecto arredondado, pertencente à espécie Glycine max., sendo este um pequeno arbusto com flores brancas, amarelas ou cor de violeta. A soja surgiu como um importante nutriente em meados do primeiro milênio e é cultivada na China há mais de 5 mil anos. Há 3 mil anos se espalhou pelo continente asiático, onde começou a serutilizada como alimento. No Brasil chegou com os primeiros imigrantes japoneses, por volta de 1908, mas foi introduzida oficialmente no Rio Grande do Sul em 1914. Entretanto, a expansão da soja no Brasil só aconteceu nos anos 70, com a crescente indústria de óleo e a demanda do mercado internacional.



SOJA

Profª Fabiana Poltronieri 3º ASMP
Angelica Rouffiac Bruna Gisela DanielaMariana Flávia Maria Francine Justino Evanilde Costa



BRICARELLO, 2001

SOJA – GLYCINE MAX. (L.) MERRILL


COMPOSTOS BIOATIVOS DA SOJA


Grão: 40% proteína, 21% lipídeos (ácidos graxos saturados e insaturados), 34% carboidratos, vitaminas e compostos polifenólicos como as isoflavonas (subclasse de flavonóides)

Isoflavonas (agliconas: daidzeína, genisteína e gliciteína)Isoflavonas: apresenta 4 formas químicas  Agliconas  maior biodisponibilidade  β- glicosídeos  Derivados glicosilados acetilados  Derivados glicosilados malonilados

ANJO, 2004; ÁVILA et al., 2007; BARBOSA et al., 2006; FERREIRA et al., 2011; SILVA et al., 2012.

Daidzeína

Genisteína

Gliciteína


Proteínas da soja
ESTEVES; MONTEIRO, 2001

TEOR DE ISOFLAVONAS E PROTEÍNAS NO EFEITOSPARA A SAÚDE


GRÃO Fatores genéticos; Fatores ambientais;  Safra;  Temperatura local;  Tipo de processamento (fermentativo agliconas)
 

Todos os efeitos relacionados à isoflavonas se dão pela sua semelhança estrutural à molécula de estrógeno e sua capacidade antioxidante  Genisteína Atuam na prevenção de:
 Doenças



hormônio-depedentes (câncer, sintomas da menopausa); Doenças cardiovasculares/ dislipidemias;  Osteoporose.
ANJO, 2004; BARBOSA et. al.; 2006;

A concentração de isoflavonas pode variar mais que o triplo dependendo:  Parte morfológica que é extraída, variedade, cultivo e temperatura local.

ÁVILA et al., 2007; BARBOSA et al., 2006) CIABOTTI et al., 2005; SILVA et al., 2012.

1

06/06/2012

MECANISMO DE ATUAÇÃO NO ORGANISMO


MECANISMODE ATUAÇÃO NO ORGANISMO – COLESTEROL


As isoflavonas atuam no organismo interagindo com os receptores de estrógeno, dependendo de suas propriedades agonistas-antagonistas; Inibem a atividade enzimática carcinogênica; Atua como antioxidante pela presença de grupos –OH em sua estrutura.

Semelhança estrutural da isoflavona com o estrógeno  hipótese do efeito hipocolesterolêmico. Estudosmostram que a ingestão de 47g de proteína de soja (isoflavonas)/ dia reduz: 9,3% no colesterol total, 12,9% no LDL-c 10,5% nos triglicerídeos.

 



 

Podem inibir a peroxidação lipídica in vitro por sequestrar radicais livres por quelar-se com metais.
ESTEVES; MONTEIRO, 2001; BARBOSA et. al.; 2006

De acordo com a IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias e Prevenção deaterosclerose  ingestão de 25g PS/ dia reduz 6% do LDL-c.
PREDIGER et. al.; 2011

MECANISMO DE ATUAÇÃO NO ORGANISMO – OSTEOPOROSE


MECANISMO DE ATUAÇÃO NO ORGANISMO – CLIMATÉRIO E MENOPAUSA
Os sintomas mais comuns do climatério e menopausa são os fogachos, doenças cardiovasculares e alterações do humor.


Após parar a produção de hormônios femininos, a massa óssea da mulher diminuirapidamente nos primeiros 10 anos. O estrógeno (ES) atua na remodelação óssea, pois há receptores para ele nos osteoblastos, produzindo efeito estimulatório sobre a síntese e remineralização óssea. As isoflavonas podem auxiliar mimetizando o ES nos osteoblastos, contribuindo para a remineralização óssea.
RIBEIRO; NUNES, 2003





Uma alternativa para isso, é o uso de isoflavonas, pois atuam nos...
tracking img