Software energy

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1047 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE
CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas

















SOFTWARE ENERGY


























São Paulo
2012
















SOFTWARE ENERGY










Trabalho apresentado ao Centro de Ciências Sociais e Aplicadas, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, para a disciplina deGestão da Inovação coordenado pela professora Cely Ades.











São Paulo







2012


Software Energy: Da ideia a sua concepção


Graduado em Análise de Sistema pela Universidade Norte do Paraná (Unopar), Leandro Martini Chagas decidiu investir em tecnologia para a área de agronegócios após analisar que o sistema de automação de aeração convencional considerasomente o clima e possui a opção de “liga e desliga” (ou a aeração estava ligada ou desligada), o que gerava um consumo de energia elevado. Também verificou a necessidade do mercado do setor, levando em conta a armazenagem de grãos e cereais em silos e visando à redução do consumo energético dos armazéns, como na empresa COCARI.

Por esses motivos, em 2010 Leandro criou a empresa DroidTech,incubada na Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica (Intuel) em parceria com a WEG e a Agroindustrial Rezende desenvolvendo o software “Energy – Sistema de Gerenciamento de Eficiência Energética na aeração de Grãos”.

A WEG, indústria produtora de motores, forneceu um motor de alto rendimento e, a Rezende, indústria do mercado agroindustrial, os equipamentos de conservação decereais, o que resultou em um perfeito sistema de aeração. "Esses grandes armazéns necessitam que ventiladores trabalhem para manter o ambiente interno favorável ao armazenamento dos grãos” e “a potência do ventilador varia de acordo com umidade, temperatura, volume, tipo de produto e clima”, explica Chagas.

Em entrevista ao Jornal Notícia (Agência de notícias da Universidade Estadual de Londrina –UEL), Leandro cita a importância do desenvolvimento deste projeto: “Para a adequada conservação do produto armazenado no silo é preciso que haja uma oxigenação do ar. Se o ar ficar parado dentro do silo pode haver proliferação de fungos e bactérias. Soja, milho, trigo e arroz são produtos vivos, eles respiram, então é preciso trocar esse ar para evitar que as toxinas se proliferem ali dentro edeteriore o produto e, com isso, o produtor perde dinheiro”.

Sendo assim, dentro do silo há o sistema de termometria que mede a temperatura e o sistema de aeração que faz a troca de ar. Dependendo do grão e do volume armazenado os níveis de temperatura e aeração são diferentes e o software faz esse cálculo automaticamente. Segundo Leandro, isso faz com o produtor gaste menos energia e diminua aquantidade de grãos deteriorados, o que é uma grande vantagem, já que economiza-se cerca de 30 a 40%, em um mercado onde o consumo de energia elétrica gira em torno de 60%. Por exemplo, um silo, operando 10 horas por dia, gasta 12,5 mil reais em energia utilizando os métodos antigos. Aplicando o sistema, ele passa a gastar 9 mil reais.

Além da redução no consumo de energia, a necessidade de teruma melhor qualidade no modo de armazenagem de grãos, também influenciou na elaboração deste software. Na década de 1980 quando a inflação era muito alta, os produtores quase não usavam a aeração devido a não existência da cultura de se manter os grãos armazenados por muito tempo, já que a rotatividade de vendas era maior e, mesmo que houvesse perda de grãos, era compensada com a alta dos preços.Hoje, os grãos ficam mais tempo no silo esperando um preço melhor, por isso é preciso investir mais na qualidade do armazenamento dos mesmos.

Desde seu desenvolvimento, o software passou por algumas adaptações para se tornar mais comercializável. Chagas conta que, inicialmente, havia algumas barreiras, como por exemplo, o fato de que para se instalar o programa dentro do mercado alvo, o...
tracking img