Sociologia juridica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7086 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Arnaldo Lemos Filho


In LEMOS FILHO,
Arnaldo et alli. Sociologia geral e do
Direito. 2ªedição. Campinas: Ed.
Alínea,2005




Após estudar o conceito de ciência, no primeiro capitulo, vamos ver, agora, como que surgiu a ciência dasociedade, denominada Sociologia. O nosso raciocínio é o seguinte: se a Sociologia é uma ciência e se ciência é conhecimento, sabendo que todo conhecimento é um produto histórico, concluímos que a Sociologia é um produto histórico. O objetivo deste capitulo é saber como que, num determinado momento histórico, surgiu a Sociologia, ou seja, queremos saber quais os fatores históricos que propiciaram onascimento da ciência da sociedade.
É costume dizer que a Sociologia é a “ciência da crise” (Tomazi:1993). Não sendo obra de um único pensador, mas o resultado de circunstâncias históricas e contribuições intelectuais (Martins,1984), ela surge, no contexto do conhecimento cientifico, como um corpo de idéias que se preocupou e ainda se preocupa, com o processo de formação edesenvolvimento do sistema capitalista. Como vemos, sua origem mescla-se com os progressos sociais e econômicos que há muito vinham se constituindo na Europa, no campo da ciência e da tecnologia, da organização política, dos meios e processos de trabalho, das formas de propriedade da terra e dos instrumentos de produção, da distribuição do poder e da riqueza entre as classes, das tendências àsecularização e racionalização que se mostravam em todas as áreas das atividades humanas(Quintanero:1999).
Vamos fazer um primeiro corte histórico: século XVIII. Este século foi palco de duas grandes revoluções: a Revolução Industrial e a Revolução Francesa. As transformações ocorridas, na estrutura econômica com a Revolução Industrial e na estrutura política com a Revolução Francesa, trouxeramcrises e desordens na organização da sociedade, o que levou alguns pensadores a concentrar suas reflexões sobre as suas conseqüências.
Um segundo corte histórico é mais amplo: séculos XVI, XVII e XVIII. Podemos considerar este período como um momento de grandes transformações sociais, políticas e econômicas, o que significa um período de transição de uma perspectiva filosóficapara uma perspectiva científica da sociedade.


A FILOSOFIA SOCIAL: Idade Antiga e Idade Media.


Na Antiguidade e durante a Idade Média, as tentativas de explicações da sociedade foram muito influenciadas pela filosofia e pela religião que propunham normas para melhorar a sociedade de acordo com seus princípios.A preocupação dos pensadores, em relação aos fenômenos sociais,nestes períodos, era mais filosófica do que cientifica. Embora sua atenção fosse despertada pelas causas econômicas e políticas que abalavam continuamente as estruturas sociais de seu tempo, em lugar de tomarem uma atitude objetiva diante dos problemas apresentados, levados por razão de ordem prática, preocupavam-se mais em descobrir os remédios que trouxessem uma solução para as crises sociais. Osestudos a respeito da vida social tinham sempre por objetivo propor formas ideais de organização da sociedade, mais do que lhe compreender a organização real. Assumiam, portanto, um ponto de vista normativo, no sentido de buscarem estabelecer normas ou regras para a vida social e finalista, no sentido de proporem como finalidade da vida social a realização desta organização social. FlorestanFernandes lembra que mesmo as filosofias greco-romanas e medievais que deram relevo especial à reflexão sistemática sobre a natureza humana e a organização das sociedades, contrastam singularmente com a explicação cientifica (Fernandes:1971). É que “elas tinham, com efeito, por objetivo, não explicar a sociedades tais quais elas foram, mas indagar o que as sociedades devem ser, como elas devem...
tracking img