Sinusite e rinite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2676 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ
Faculdade de Formação de Professores – FFP
Departamento de Ciências – DCIEN
Disciplina:
Anatomia e Fisiologia I
Professora: Andréia
Oliveira

Rinite e Sinusite

Camilla Rodrigues de A. Ribeiro e Mariana Pimenta S. Gonçalves

Nariz Externo

Fossas Nasais

Cavidade Nasal

Seios Paranasais

Seios Paranasais
• Maxilares
• Frontal• Etmóide
• Esfenóide

Seio
Esfenóide

Figura 1: Esquema demonstrando as fossas paranasais

Sinusite
Segundo o EPOS, 2007 (European Position on Rhinossinusitis and Nasal
Polyps), podemos definir clinicamente sinusite como todo o processo
inflamatório que acomete a mucosa nasal e os seios paranasais seja de
etiologia crônica, viral, bacteriana ou fúngica.

A sinusite encontra-seentre uma das mais
freqüentes infecções do trato respiratório,
sendo sua prevalência de aproximadamente
14% da população em geral.

Com a moderna compreensão da fisiologia das fossas nasais e cavidades paranasais,
pode-se afirmar que a imensa maioria das sinusopatias tem sua origem em processos
inflamatórios nas fossas nasais, particularmente na região do meato médio, ponto mais
complexo daanatomia das fossas nasais, verdadeira “encruzilhada” de óstios, canais,
lamelas e projeções da parede lateral.

Figura 2:

Os seios paranasais são cavidades preenchidas por ar que ficam ao redor do
nariz. Na eventualidade de um trauma os seios da face absorvem o impacto e
transmitem menos energia cinética para o cérebro. Além disso, se não houvesse
os seios paranasais os ossos do crânioe da face seriam compactos e com isso a
cabeça seria muito mais pesada.

Figura 2: Esquema demonstrando as fossas paranasais

Podemos dividir os fatores predisponentes às sinusopatias da seguinte
maneira:

Fatores Ambientais
• Vírus: muitas sinusopatias são virais, eventualmente progredindo para bacterianas.
Os vírus influenza e parainfluenza estão freqüentemente envolvidos.
•Poluição: vários estudos clínicos relacionam as doenças respiratórias, incluindo as
sinusopatias, à poluição ambiental.
• Tabagismo: fator predisponente a doenças respiratórias.
• Super-antígenos bacterianos: segundo alguns autores, certos antígenos bacterianos,
denominados super-antígenos, particularmente encontrados no Staphylococcus
aureus, são potentes estimuladores dos linfócitos T, desencadeandoreações alérgicas.
Têm mais relevância na sinusopatia crônica.
• Fungos: mais implicados com as sinusopatias crônicas alérgicas e polipose
nasossinusal, exacerbam quadros inflamatórios em indivíduos predispostos.

Fatores Gerais do Hospedeiro
• Fatores genéticos.
• Estresse: segundo estudos recentes, pode haver relações entre o estresse e
sinusopatias.

Fatores Locais do Hospedeiro
•Fatores anatômicos: desvio de septo nasal, corpo estranho, pólipos, hipertrofia de
adenóide (não permitem aeração e drenagem adequadas), síndrome da imobilidade
ciliar, fibrose cística, cisto em seio maxilar.
• Inflamação da mucosa nasal: como nas rinites agudas e crônicas.

Tipos de Sinusite
• Sinusite Aguda e Crônica
• Sinusite Bacteriana
• Sinusite Fúngica

Sinusite Aguda e CrônicaA Sinusite Aguda é a inflamação recente da mucosa do seio paranasal.
Normalmente é uma complicação de um resfriado.

Figura 3: Imagem de endoscopia nasal mostrando secreção purulenta em meato médio à direita. Este achado, em
vigência de sintomatologia compatível, é suficiente para o diagnóstico de sinusite aguda.

Diagnóstico e Tratamento
Segundo o 1º Consenso Brasileiro sobreRinossinusite, realizado pela Sociedade
Brasileira de ORL em Recife, 1998, a definição de sinusite aguda, subaguda e crônica é
feita pelo tempo de sintomatologia, da seguinte forma:
• Sinusite aguda: até 4 semanas de sintomas.

• Sinusite subaguda: de 4 a 12 semanas de sintomas.
• Sinusite crônica: mais de 12 semanas de sintomas.

Quadro 1. Orientações para diagnóstico clínico de sinusite,...
tracking img