Sinais vitais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2089 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SINAIS VITAIS
A verificação dos sinais vitais é um procedimento essencial para realização do exame físico, pois eles são os principais indicadores das condições de saúde do paciente. Esses sinais podem mostrar alterações orgânicas que chamam a atenção da equipe de enfermagem. Porem fatores como temperatura do ambiente, ansiedade, choro, dor, esforço físico, alterações hormonais e nutricionaispodem provocar variações nos sinais vitais e, por isso devem ser considerados.
Os sinais mais comumente aferidos são descritos a seguir.
PRESSÃO ARTERIAL
A pressão ou tensão arterial é a função do produto: débito cardíaco X resistência vascular periférica, ou seja, pressão arterial reflete a pressão que o sangue exerce contra a parede dos vasos, quando é lançado na corrente sanguínea, peloventrículo esquerdo, sendo esta pressão depende de cinco fatores principais. São eles:
1. Força contrátil do coração ( ventrículo esquerdo )
2. Resistência vascular periférica
3. Volume do sangue circulante
4. Viscosidade sangüínea
5. Elastecidade da parede dos vasos
Componentes Básicos dapressão arterial
Pressão máxima: chamada de sistólica.
Pressão mínima: chamada de diastólica.
Valores de pressão arterial considerados normais
Em um individuo adulto, as cifras normais são próximas de 120 mmHg para a pressão sistólica e 80mmHg para a diastólica. Em idosos podem ser considerados normais valores até 140 x 90 mmHg.
É importante que se conheçam os valores habituais da PA de umdeterminado paciente para que, ocorrendo um aumento ou diminuição de 20 a 30mmHg sobre este valor habitual,o profissional que presta o cuidado se coloque em estado de alerta.

TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO DE SINAIS VITAIS
TÉCNICA – Após a lavagem das mãos, reunir todo o material e dirigir-se à unidade do paciente, orientando-o para o procedimento. O mesmo deve estar em repouso por pelo menos cinco minutos, emabstenção de fumo ou cafeína nos últimos 30 minutos; o braço selecionado deve estar livre de vestimentas, relaxado e mantido ao nível do coração (aproximadamente no quarto espaço inter-costal); quando o paciente esta sentado, coloca-se o braço por sobre uma mesa; a pressão arterial poderá estar falsamente elevada caso a artéria braquial fique abaixo do nível do coração.


O pulso braquial deveser palpado para diagnóstico de sua integridade. A bolsa inflável deve ser centralizada por sobre a artéria braquial, sendo que a margem inferior do manguito deve permanecer 2,5 cm. acima da prega anti-cubital; prende-se o manguito e posiciona-se o braço de modo que fique levemente fletido.












Método palpatório: insufla-se o manguito, fechando-se a válvula eapertando-se a “pera’’ rapidamente até o desaparecimento do pulso radial, verifica-se o valor e acrescenta-se 30 mmHg. Após, desinflar lenta e completamente o manguito até o aparecimento do pulso, o que é considerado pressão arterial máxima. Desinflar o manguito rapidamente. O método palpatório só permite a verificação da pressão arterial máxima.

Método auscultatório: coloca-se o diafragma doestetoscópio suavemente por sobre a artéria braquial; insufla-se o manguito suavemente até o nível previamente determinado (30mmHg acima da pressão arterial máxima verificada pelo método palpatório) e em seguida desinflar lentamente , à uma velocidade de 2 a 3mmHg por segundo. Verifica-se o nível no qual os ruídos (de Korotkoff ) auscultados, o que corresponde à pressão arterial máxima. Continua-sebaixando a pressão até o são abafamento das bulhas e a seguir o desaparecimento completo de Korotkoff, o que corresponde à pressão arterial mínima. Em algumas pessoas, o ponto de abafamento e o de desaparecimento ficam muito afastados, e
em raras situações chegam a não desaparecer. A diferença entre a pressão arterial máxima e mínima é a chamada pressão de pulso. Durante a ausculta dos ruídos...
tracking img