Saude

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2775 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
APRESENTAÇÃO

O envelhecimento populacional tem duas características marcantes: ser rápida e recente. No que diz respeito à diversidade do processo de envelhecimento, a questão de gênero é um conceito importante que transita na literatura gerontológica, uma vez que a feminização da velhice que significa o aumento do número de mulheres na população idosa é um fenômeno que mereceatenção dos estudiosos e profissionais. A maioria da população de idosos é constituída por mulheres com 65 anos ou mais. De acordo com os dados do IBGE (2000), 55% dos idosos brasileiros são mulheres, sendo que os grupos mais idosos, com 80 anos ou mais, esse percentual aumenta para 65%, sendo maior nos países desenvolvidos, o que dificulta estudos comparativos. E a acentuação das diferenças em papéis degênero dá origem a estereótipos de masculinidade e feminilidade. Homens e mulheres não envelhecem da mesma maneira, em vários sentidos.

Os idosos brasileiros principalmente as mulheres, são um segmento populacional cada vez mais visível da sociedade, não só porque são mais numerosas, mas porque têm se envolvido na conquista de espaço na sociedade e porque estão criando novas demandaspara as instituições e Assistentes sociais. Para algumas mulheres envelhecer é como navegar em rio plácido que desemboca em águas tranqüilas. Outras mulheres, contudo enfrentam correntezas e maremotos que as levam em caminhos às vezes desconhecidos que podem levar ao não reconhecimento da própria imagem no espelho como ilustra no verso do poema de Cecília Meireles. “Eu não dei por essa mudança,tão simples, tão certa, tão fácil: em que espelho ficou perdida a minha face?”.

Um outro fator que é impactante na condição da vida da mulher que envelhece é a atividade de cuidado prestado à família, aos filhos, netos, etc. Em virtude de normas sociais, o papel de cuidar é especificamente feminino. Quando jovens, as mulheres cuidam dos filhos. Na meia-idade e na velhice cabe-lhes cuidardos maridos quando adoentados, dos pais, sogros quando fragilizados e dos filhos e netos. O fato das mulheres serem mais envolvidas e mais longevas, de serem uma fonte de apoio, lhes cabe o papel de “cuidadoras” causando ônus e benefícios.

1. JUSTIFICATIVA

Pretende-se com esse Projeto perceber os significados do envelhecimento que é um processo muito diferenciado, o queinstigue o interesse em compreender por que a velhice revela-se uma experiência angustiante e penosa para algumas pessoas e enriquecedora e plena de significações para outras. O aumento da população idosa no Brasil e no mundo é hoje uma realidade incontestável, fruto de significativas quedas nas taxas de mortalidade e fecundidade, decorrentes de uma destacada melhoria na qualidade de vida das pessoas.Diante disso, esta pesquisa objetivou compreender a vivência da velhice através da análise dos processos de significação e geração de sentidos que permeiam o envelhecimento e o bem-estar subjetivo das mulheres idosas atendidas pelo do CRAS de Crato/CE.

Ao abordar experiências de envelhecimento saudável e bem-sucedido, esta pesquisa tem a intenção de contribuir para a desconstrução davisão da velhice enquanto problema social, enquanto doença que precisa ser tratada, e do estereótipo do velho enquanto ser dependente e improdutivo. Este projeto observa e afirma que a velhice pode ser uma fase de crescimento, realização pessoal e desenvolvimento continuado, sem desconsiderar a heterogeneidade e a subjetividade das experiências do sujeito que envelhece.

São diversosfatores que contribuem para “o envelhecer” na condição de mulher. Assim como merecem atenção todos aqueles que estão envelhecendo, o processo da velhice também merece compreensão das necessidades das mulheres idosas para uma melhor contextualização desse processo. Mesmo que a velhice não seja universalmente feminina, ela possui um forte componente de gênero.

A maioria das idosas...
tracking img