RESUMO DO TEXTO DE ANTHONY GIDDENS SOBRE: “POBREZA, PREVIDÊNCIA SOCIAL E EXCLUSÃO SOCIAL”

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
FACULDADE DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA







TRABALHO SOBRE A DISCIPLINA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO II



RELATÓRIO 01


RESUMO DO TEXTO DE ANTHONY GIDDENS SOBRE: “POBREZA, PREVIDÊNCIA SOCIAL E EXCLUSÃO SOCIAL”


Aluno:
Eder Viana Chavante

Matrícula:
355825

Professor:
Rui Martinho




Fortaleza – Ce
Setembro – 2013

1. OQUE DIZ O TEXTO?
O que é pobreza A compreensão do que é pobreza pode ser inferida a partir de dois conceitos que o texto nos apresenta: a pobreza absoluta e a pobreza relativa. Por pobreza absoluta entende-se que seriam as condições básicas que devem ser preenchidas para que se mantenha uma existência fisicamente saudável. Explorando o significado de pobreza relativa, a leitura do texto nos dizque ela relacionaria pobreza ao padrão de vida predominante de uma determinada sociedade, seria uma medição mais cultural do que subsistêncial. / A mensuração da pobreza (medições oficiais e subjetivas) Existem dificuldades em se criar critérios que mensurem o tamanho da pobreza, tanto absoluta quanto a relativa. Uma técnica para medir a pobreza absoluta é baseada na linha da pobreza, com base nopreço das mercadorias básicas necessárias à sobrevivência humana em uma sociedade particular. No entanto, empregar um critério de pobreza sem considerar as variações das necessidades humanas dentro de uma sociedade e entre as sociedades, tornar-se problemático, pois, este único critério pode avaliar um indivíduo como estando acima da linha da pobreza, quando sua renda não lhe permite sequer suprirsuas necessidades básicas de subsistência; o conceito de pobreza relativa apresenta suas próprias complexidades, pois, com o desenvolvimento das sociedades, as interpretações da pobreza relativa precisarão também sofrer adaptações. O Reino Unido utiliza a provisão de benefícios para mensurar sua pobreza e, mais recentemente, mede sua pobreza com referência no número de lares que continuamvivendo com uma renda abaixo da média. A constatação a qual o RU chegou foi a de quê o número de pessoas pobres em seu território aumentou. Peter Townsend, baseado na crença de que as medidas oficiais de pobreza são inadequadas, elaborou estudos voltados para as interpretações subjetivas dos indivíduos quanto a pobreza, solicitando que os mesmo dissessem de quanto precisavam para manterem sua famíliaadequadamente e que respondessem se sua renda atual superava ou estava abaixo deste valor estipulado. / Tendências da pobreza no RU Uma lista de cinquenta indicadores da pobreza e da exclusão social, compilados por duas fundações britânicas, são usados para avaliarem a eficácia dos programas de combate à pobreza. Dados sobre renda doméstica, saúde, educação, padrões de emprego e atividadescomunitárias são recolhidos por estes indicadores. Esses estudos permitiram chegar a conclusão de que milhões de pessoas estão sofrendo algum de privação relacionada a pobreza na Grã-Bretanha e que as desigualdades entre ricos e pobres acentuam-se cada vez mais. Esta constatação de desigualdades geradas na sociedade acredita que isto está acontecendo, principalmente, devido a políticas governamentais quevisavam à revitalização de uma economia estagnada. Outra mudança importante neste cenário de estagnação econômica foi o ingresso das mulheres no mercado de trabalho a fim de ajudarem nas despesas do lar, criando mais um fator de divisão entre as “famílias ricas” ou de duas rendas e as “famílias pobres” que seriam as de uma renda. / Quem são os pobres Então, quem seriam os pobres? Apresentar umperfil de quem é pobre é uma tarefa quase impossível, pois, a pobreza é diversa e está em constante mutação. Porém, há determinadas categorias de pessoas que correm mais riscos de viver na pobreza, seriam elas: os desempregados, os indivíduos que trabalham meio expediente ou que possuem empregos instáveis, os idosos, os doentes e os deficientes, as crianças, as mulheres, os membros de famílias...
tracking img