Resumo do filme luthero

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1453 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Resumo A Reforma não pode ser explicada a partir de um único acontecimento ou a partir de uma única pessoa, não iniciou com a divulgação das 95 teses de Lutero em 31 de outubro de 1517. Muitos antes haviam sido difundidos ideias, despertados sentimentos que provocaram e possibilitaram o conflito com a Igreja de então. Ao não observar as maiores necessidades religiosas das pessoas, ao nãoverificar a emancipação dos crentes em questões de fé e a ao não substituir as estruturas entrementes arcaicas da Idade Média, a Igreja criou as condições e os pressupostos para o clamor por uma Reforma. Martin Luder (ou Ludher) nasceu em 10 de novembro de 1483, em Eisleben, e foi batizado no dia seguinte, recebendo o nome do santo do dia. O sobrenome só foi alterado quando da descoberta da justificaçãopor graça e fé. Ao ingressar na Universidade de Erfut, o registro acadêmico lhe deu o sobrenome Luder. Seu pai, Hans, era filho de agricultores e natural de Möhra, na Turíngia. Sua mãe, Margaretha, nascida Ziegler, provinha de círculos burgueses. ficou muito impressionado com o que viu em Roma, visitando templos, catacumbas e santuários, peregrinou pelas sete igrejas principais da cidade santa,nelas obtendo a indulgência anunciada. Desde 22 de outubro de 1512 até o final de sua vida, Lutero foi professor de bíblia, um exegeta, portanto, na Faculdade de Teologia da Universidade de Wittenberg. As 95 teses de 1517 e a experiência da descoberta da justificação por graça e fé. Com a publicação das 95 teses, Lutero não pretendia nada mais do que o esclarecimento teológico de uma questão queo envolvia como a indulgência. As indulgências tinham destacado importância sob o aspecto financeiro. A cúria e o Estado papal dependiam em grande parte das rendas ao auferidas com a venda delas. Muitos projetos eram financiados com a publicação de indulgências Pode-se afirmar que elas tiveram a mesma função que, mais tarde, tiveram os empréstimos. Para os fiéis, a indulgência era umaoportunidade para se protegerem do purgatório e do juízo eterno. Aqui, o desejo de salvação encontrado entre o povo vem encontro das necessidades financeiras da Cúria. Lutero não excluiu toda e qualquer forma de indulgência; limitou-a, no entanto, às penas temporais impostas pela igreja e voltou-se contra a falsa segurança provocada pela indulgência Nota-se o conceito de penitência, que, para Lutero, não éum sacramento, mas arrependimento, segundo o uso do conceito no Novo Testamento a experiência da descoberta da justificação por graça e fé lhe proporcionara compreensão totalmente nova do evangelho que lhe esclarecera a justiça de Deus. Tal descoberta significou para ele, assim o relatou em 1545, um novo nascimento e abertura das portas do paraíso. Essa descoberta é a constatação de que a justiçade Deus na epístola de Paulo aos Romanos não se refere à justiça, segundo a qual Deus é justo em si mesmo e que, por isso, castiga ou tem que castigar os pecadores. Na Escritura, [segundo] Lutero a justiça de Deus é aquela com a qual agracia o pecador, na fé. Na justiça de Deus, da qual fala o evangelho, não se revela o Deus que castiga, mas o Deus misericordioso, que nos concede sua justiça,sem mérito nosso; dela participamos crendo Nem mesmo a Lei Divina torna-o ser humano justo. O mesmo vale para as obras que brotam ao natural do ser humano. Também as melhores obras humanas são pecados diante de Deus, mesmo que do ponto de vista humano não constituam crimes. O ser humano que vive da lei, da

obra e da sua liberdade poderia imaginar que lei, obra e liberdade fossem eliminadas pelo“niilismo” luterano. Para negar essa possibilidade, a Lutero afirma que a lei provoca a ira de Deus, mas não é má. Oque torna a lei má é o abuso da parte do ser humano. A fé em Cristo, porém cria a justiça das obras e A lei aponta para um futuro sem perspectiva, a fé vive daquilo que já aconteceu em Cristo com isso, nossas obras já não são nossas, mas Cristo que opera sua obra em nós por nosso...
tracking img