Resumo de sociologia juridica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3223 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
REVISÃO

ESCOLA JUSNATURALISTA
A GENESE DO DIREITO-
ESCOLA DO DIREITO NATURAL- DEFENDEM O DIREITO PREDETERMINADO PELA LEI – SÃO PRINCIPIOS QUE REGEM A PROPRIA NATUREZA . ESSAS LEIS FARIAM PARTE DO DIREITO NATURAL.
CONJUNTO DE IDEIAS , PRINCIPIOS SUPERIORES, ETERNOS E IMUTÁVEIS EQUIPARADO A JUSTIÇA E A RAZÃO E OUTORGADOS AO HOMEM PELA PROPRIA NATUREZA
As PRIMEIRAS LEI FORAM INSPIRADAS EMDEUS, SEU CONTEÚDO É ESTABELECIDO PELA NATUREZA.
( FORÇAS DA NATUREZA/ DO UNIVERSO )
O DIREITO PAIRAVA ALEM DAS FORÇAS DO HOMEM

ESCOLA MEDIEVAL OU TEOLOGICA
HOMEM IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS SEU CRIADOR( PRINCIPIOS – SUPERIOR, ETERNO e IMUTÁVEL TAMBÉM TENDO COMO FONTE A RELIGIÃO )-INQUISIÇÃO
INVERSO DA ANTERIOR O COSMO É IMORTAL O HOMEM É MORTAL
PRECEITOS RELIGIOSOS DA IGREJA/PENSAMENTO CRISTÃO/ INQUISIÇÃO
FIGURA DE DEUS COMO PRINCIPAL– NÃO É MAIS A NATUREZA
(EXISTENCIA DE PRINCIPIOS DETERMINADOS POR DEUS PARA QUE O HOMEM POSSA VIVER DE FORMA ORGANIZADA
SUPREMACIA DA IGREJA NEM TODOS TINHAM ACESSO A INFORMAÇÃO- MISSA REZADA EM LATIM
ESCOLA RACIONALISTA OU CONTRATUAL
-RELACIONADA AO ILUMINISMO – RAZÃO SE SOBREPÕE A RELIGIÃO – NOVA VISÃO DO DIREITO PAUTADO NA RAZÃO
HOMEMDESCOBRE TER PODER QUE OUTROS ANIMAIS NÃO POSSUEM.
RUPTURA DA VISÃO TEOLOGICA/DIVINO DO PODER DE DEUS – CIENCIA DISSOCIADA DOS PRECEITOS RELIGIOSOS NÃO DEVERÃO INFLUENCIAR A VIDA POLITICA E LEGISLATIVA DO ORDENAMENTO
QUESTIONAMENTO DO HOMEM SOBRE A SUPREMACIA DA IGREJA. HOMEM CONSEGUE CRIAR PORQUE DETEM A RAZÃO
ESCOLA HISTÓRICA
ESTUDA O NASCIMENTO DO DIREITO, COMO ELE SE DESENVOLVE QUALMECANISMO ELE UTILIZA NA SOCIEDADE PARA SER REPASSADO PARA AS FUTURAS GERAÇÕES
FUNDAMENTO DA ESCOLA HISTÓRICA É NA SOCIOLOGIA - DIREITO NÃO É ETERNO POIS ELE EVOLUI – A SOCIEDADE EVOLUI- SURGE DAS NECESSIDADES
CADA SOCIEDADE POSSUI A SUA HISTÓRIA.
A ESCOLA HISTÓRICA FUNDAMENTA A SOCIOLOGICA- É A HISTÓRIA QUE SE CONSTIUI DE FATOS, COSTUMES
ESCOLA SOCIOLOGICA
MUTABILIDADE DEVE PREVALECER PARAMANUTENÇÃO DA ORDEM E DA JUSTIÇA- O DIREITO É FRUTO DAS INTERRELAÇÕES SOCIAS- SURGEM AS REGRAS QUE VÃO ESTABELECER A VIDA EM SOCIEDADE INTERPRETAÇÃO TELEOLOGICA/ SISTEMICA
O QUE É RELEVANTE HOJE PODE NÃO SER MAIS AMANHÃ ( VEJAMOS NOSSA LEGISLAÇÃO )INDICA O CARATER DE PROVISORIEDADE DO DIREITO
PRESENÇA DA SOCIOLOGIA JURIDICA EM NOSSOS TRIBUNAIS NA INTERPRETAÇÃO DA LEI
PREOCUPA-SE A ESCOLASOCIOLOGICA COM AS MUTAÇÕES, INOVAÇÕES TECNOLOGICAS, CIENTÍFICAS
ESCOLA MARXISTA
A ORIGEM DO DIREITO É O ESTADO -JURIDICA, POLITICA E ECONOMIA ORGANIZADO
A REALIDADE SOCIAL DA ÉPOCA ERA MUITO DESIGUAL. DESIGUALDADE DE CLASSES
O ESTADO ERA INSTRUMENTO DE PRESSÃO
BURGUESA- DETENTORA DOS MEIOS DE PRODUÇÃO
PROLETARIADO DETENTOR DA FORÇA DE TRABALHO-
SUBJULGAÇÃO DE UMA CLASSE A OUTRA
MARXCONSIDERAVA O DIREITO A EXPRESSÃO DA CLASSE DO INTERESSE DA CLASSE DOMINANTE, INSTRUMENTO IDEOLOGICO DE DOMINAÇÃO DA BURGUESIA SOBRE O PROLETARIADO
---------------------------------------------------------------------------------------
existem atividades que nos chamamos de atividades de cooperação e outra de concorrência
Cooperação há uma convergência de interesses, envolvem fins e objetivoscomuns..
atividade de concorrência, há paralelismo , nunca se encontram, pois não convergem para um interesse comum. Nela dois indivíduos, embora tenham objetivos idênticos, desenvolvem atividades independentes, paralelas, que os colocam um em relação ao outro , em posição de competidor ou concorrente.
FORMAS DE COMPOSIÇÃO DE CONFLITOS
mediação, o mediador visa reEstabelecer o diálogo entre aspartes. o mediador está voltado para a relação entre os envolvidos. Na mediação, quem decide são as partes envolvidas na disputa. “Dois irmãos brigam por causa de uma cadeira. Nesse caso, o mediador, através de técnicas de abordagem, percebe que restaurar a relação entre os irmãos é o principal ponto, tratar o conflito entre eles e depois buscar a solução para a cadeira”, diz.
Na conciliação, as...
tracking img