Resumo de roteamento

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1153 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
MODALIDADES DE ROTEAMENTO

Estático (via administrador);
Dinâmico (o router “aprende” sobre as redes remotas via comunicação com os routers vizinhos).

Itens obrigatoriamente conhecidos pelo router para que o mesmo faça o roteamento:
Endereço de destino;
Routers vizinhos;
Rotas possíveis a redes remotas;
Melhor rota para cada rede remota;
Como manter e verificarinformações relativas ao roteamento.

Roteamento estático
Vantagens:
Redução de overhead na CPU do router;
Não há utilização de largura de banda entre os routers;
Segurança (o administrador possui total controle do processo de roteamento).
Desvantagens:
O administrador precisa ter profundo conhecimento global da rede;
Se uma rede for adicionada à internetwork, deve-seadicionar uma rota a cada um dos routers manualmente;
Não é viável em redes de grande porte.

Roteamento default
Criando uma rota default, tudo o que não for encontrado na tabela sairá por ela. Esta pode apontar por uma interface ligada à internet, por exemplo.

Ip route 0.0.0.0 0.0.0.0 [endereço do próximo ponto OU interface de saída]

Deve-se habilitar o comando ip classlessCLASSLESS X CLASSFUL

A propriedade Classless é a capacide que um protocolo de roteamento propagar as informações de máscara de rede em suas atualizações.

Em protocolos de roteamento classful todos os dispositivos conectados à rede devem estar sob a mesma máscara de rede.

VLSM (VARIABLE LENGHT SUBNET MASK)

Divisão avançada de sub-redes.
Flexibiliza o esquema deendereçamento
Permite sumarização de várias redes em apenas um endereço

SUMARIZAÇÃO (AGREGAÇÃO DE ROTAS)
Ex: redes:
172.16.10.0/2410 = 0000 | 1010
172.16.11.0/2411 = 0000 | 1011
172.16.12.0/2412 = 0000 | 1100
172.16.15.0/2415 = 0000 | 1111

Rota Sumarizada : 172.16.8.0 / 21

ROTEAMENTO DINÂMICO
Vantagens:
Simplifica o gerenciamento da rede;
Viável em redes de grandeporte.
Desvantagens:
Utiliza largura de banda nos links entre os routers;
Requer processamento pela cpu do router;
Menor controle da internetwork.

PROTOCOLOS
RIP
IGRP
OSPF
EIGRP

CLASSES DE PROTOCOLOS DE ROTEAMENTO
Distance vector: número de saltos;
Link-state: “árvore de menor caminho” 3 tabelas por router (redes diretamente conectadas, topologia darede, roteamento). Exemplo: OSPF;
Hybrid: são os que possuem características tanto e LS como de DV. Exemplo EIGRP.

CATEGORIAS DE PROTOCOLOS
IGP: utilizados para troca de informações entre routers pertencentes a um mesmo Sistema Autônomo (coleção de redes sob o mesmo domínio administrativo);
EGP: utilizados para trocas de informações entre routers pertencentes a Sistemas Autônomosdistintos.

DISTÂNCIA ADMINISTRATIVA
Imprescindível em protocolos de roteamento;
Representada por um número de 0 a 255 (0 a rota mais confiável e 255 a rota inalcançável).
É o peso de cada protocolo;
Métricas utilizadas para classificar a confiabilidade das informações trocadas entre routers.
UTILIZADAS POR ROUTERS CISCO

ROTEAMENTO DINÂMICO

O router gera sua tabelacomunicando-se com seus vizinhos via protocolos de roteamento.

VETOR DISTÂNCIA
Define o melhor caminho baseando-se na distância à rede remota (nº de saltos);
Protocolos que se baseiam em nº de saltos (RIP, RIPV2, IGRP).
IGRP é classificado como DV mesmo usando largura de banda e atraso da linha como métricas default.

MÉTRICA
Parâmetro utilizado na escolha do caminho;Conjunto de variáveis utilizadas pelo protocolo na escolha do caminho.

RIP – ROUTING INTERNETWORK PROTOCOL
Aberto;
Classfull (não suporta VLSM, não faz CIDR – classless interdomain routing);
Atualizações a cada 30s via broadcast;
Métrica – nº de saltos;
Roteamento por rumor (informações dos vizinhos;
Limitações:
Máximo de 15 saltos;
Alto tempo de convergência;
Alto...
tracking img