Resumo - convite a filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 23 (5529 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

CONVITE A FILOSOFIA
Marilena Chaui

Resumo

UNIDADE 5

➢ Capítulo 1 - A preocupação com o conhecimento
➢ Capítulo 2 – A percepção
➢ Capítulo 3 – A memória

Grupo: Dyego, Viviane, Elaine, Mykerlles e Adalgisa.

UNIDADE 5 – O CONHECIMENTO

CAP 1 - A PREOCUPAÇÃO COM O CONHECIMENTO
O CONHECIMENTO E OS PRIMEIROS FILÓSOFOS

Quando estudamos o nascimento daFilosofia na Grécia, vimos que os primeiros filósofos – os pré-socráticos – dedicavam-se a um conjunto de indagações principais: “Por que e como as coisas existem?”, “O que é mundo?”, “Qual a origem da natureza e quais as causas de sua transformação?”. Essas indagações colocavam no centro a pergunta: “O que são as coisas?”. Pouco a pouco essa pergunta passou a ser assim formulada: “O que é oser?”
Assim, passou-se a perguntar qual era e o que era O Ser, tò ón, subjacente a todos os seres. Com isso, a filosofia nascente tornou-se ONTOLOGIA, isto é, conhecimento ou saber sobre o ser. A opinião de que os primeiros filósofos não se preocupavam com nossa capacidade e possibilidade de conhecimento não é exata. Basta levarmos em conta o fato de afirmarem que a realidade (o Ser, anatureza) é racional e que a podemos conhecer porque também somos racionais; nossa razão é parte da racionalidade do mundo, dela participando.

HERÁCLITO, PARMÊNIDES E DEMÓCRITO

Alguns exemplos indicam a existência da preocupação dos primeiros filósofos com o conhecimento e, aqui, tomaremos três: Heráclito de Éfeso, Parmênides de Eléia e Demócrito de Abdera.
Heráclito de Éfeso consideravaa natureza (o mundo, a realidade) um “fluxo perpétuo”, o escoamento contínuo dos seres em mudança perpétua. A realidade, para Heráclito, é a harmonia dos contrários, que não cessam de se transformar uns nos outros. Parmênides de Eléia colocava-se na posição oposta à de Heráclito. Dizia que só podemos pensar sobre aquilo que permanece sempre idêntico a si mesmo, isto é, que o pensamento não podepensar sobre coisas que são e não são, que ora são de um modo e ora são de outro, que são contrárias a si mesmas e contraditórias.
Como pensar o que é e não é ao mesmo tempo? Como pensar o que se torna oposto e contrário a si mesmo? Não é possível, dizia Parmênides. Pensar é apreender um ser em sua identidade profunda e permanente. Com isso, afirmava o mesmo que Heráclito – perceber e pensarsão diferentes -, mas o dizia no sentido oposto ao de Heráclito, isto é, percebemos mudanças impensáveis e devemos pensar identidades imutáveis.

Demócrito de Abdera desenvolveu uma teoria sobre o Ser ou sobre a natureza conhecida com o nome de ATOMISMO: a realidade é constituída por átomos. Os seres surgem por composição dos átomos, transformam-se por novos arranjos dos átomos e morrem porseparação dos átomos.
Somente o pensamento pode conhecer os átomos, que são invisíveis para nossa percepção sensorial. Dessa maneira, Demócrito concordava com Heráclito e Parmênides em que há uma diferença entre o que conhecemos por meio de nossa percepção e o que conhecemos apenas pelo pensamento; porém, diversamente dos outros dois filósofos, não considerava a percepção ilusória, masapenas um efeito da realidade sobre nós.
Esses três exemplos nos mostram que, desde os seus começos, a Filosofia preocupou-se com o problema do conhecimento, pois sempre esteve voltada para a questão do verdadeiro. Desde o início, os filósofos se deram conta de que nosso pensamento parece seguir certas leis ou regras para conhecer as coisas e que há uma diferença entre perceber e pensar.SÓCRATES E OS SOFISTAS

Diante da pluralidade e das antagonismos das filosofias anteriores, ou dos conflitos entre as várias ontologias, os sofistas concluíram que não podemos conhecer o SER, pois se pudéssemos, pensaríamos todos da mesma maneira e haveria uma única filosofia, uma vez que a verdade é universal e a mesma para todos os humanos. Consequentemente, só podemos ter “opiniões...
tracking img