restauro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2118 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de fevereiro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Carta de Atenas
Nele, elabora-se o primeiro documento de recomendações internacionais de conservação, manutenção e utilização do bem cultural. Propõe-se, através da Carta de Atenas (1931), a valorização histórica e artística, a não re-funcionalização e o respeito ao monumento. Dá-se estatuto à lógica de utilização de gabarito, como ferramenta para a distinção de uma valorização visual dopatrimônio em questão. Outras questões recomendadas são: o envolvimento de múltiplas disciplinas na definição da intervenção e o respeito ao original, além da necessidade da preservação do entorno. Sugere-se, ainda, que cada nação realize seu próprio inventário do patrimônio cultural. Não se arbitra, entretanto, a definição de categorias e hierarquias, sendo que os focos são os edifícios e conjuntosarquitetônicos de importância histórica.
Ponto fundamental levantado é a definição do patrimônio pelas relações do espaço, da paisagem e da trama urbana adjacentes, definindo a importância do edifício e do conjunto arquitetônico. Elege-se o Estado como responsável pela salvaguarda do monumento, aconselhando- o a elaborar legislação que garanta seu direito legal.

Carta de Veneza
Elabora-se, no IICongresso Internacional de Arquitetos e Técnicos de Monumentos Históricos, a Carta de Veneza (1964). Nela, aplica-se a noção atual de monumento histórico, por suas relações com o espaço (meio). Ainda neste documento, recomenda-se que a restauração deve, inicialmente, ser pensada com a utilização de técnicas tradicionais, e, somente com a impossibilidade de sua adoção, recomenda-se a vinculação denovas técnicas. Reconhece, ainda, que “as contribuições válidas de todas as épocas para a edificação devem ser respeitadas” (Carta de Veneza, art.11) Tem-se, assim, sua integridade como valor patrimonial, dando margem para um amplo e longo debate dentro de suas especificidades científicas e ideológicas.
Em 1968, em sua 15o Seção, são apresentadas recomendações sobre a conservação dos bensculturais, relacionando o atendimento das necessidades da sociedade contemporânea. Abordam-se também, as posturas a serem adotadas no planejamento urbano, principalmente quanto à preservação e valorização dos monumentos em locais de interesse histórico. Considerações que são reforçadas em 1976, ao trabalhar a salvaguarda dos conjuntos históricos e sua função na vida cotidiana atual, caracterizando tantosua lógica histórica quanto tradicional. Salienta-se, ainda, a necessidade de integrar a vida contemporânea como elemento fundamental, que deve ser abordado no planejamento urbano e regional. Neste documento, também se expressa a aproximação quanto ao perigo de uniformização e despersonalização.
Assim, proclama-se a necessidade do respeito às relações culturais eminentes, o que caracteriza aidentidade do lugar. Atribui-se, assim, como papel do Estado, a elaboração de políticas de proteção e de “revitalização”, por meio de projetos de planejamento nacional, regional e local. Quanto à utilização dos bens, pontua-se a importância em manter as funções existentes engendradas nas relações cotidianas. Desta forma, pontua-se, em particular, o comércio e o artesanato e a criação de outras novasatividades “que, para serem viáveis a longo prazo, deveriam ser compatíveis com o contexto econômico e social, urbano, regional ou nacional em que se inserem” (UNESCO, 1976). Para tanto, é proposta a formação de pólos culturais que sirvam de referência para desenvolvimento cultural das comunidades circundantes e inseridas no local.

Carta de Quito
Nas Normas de Quito (1967), são apresentadaspropostas concretas para a utilização do patrimônio, tendo em vista o panorama de transformação de áreas de poucos recursos econômicos dos países da América Latina. A valorização do bem patrimonial associa-se, definitivamente, ao desenvolvimento econômico e social. Importante observar que, nesta perspectiva, os estilos ditos “importados” são reconhecidos por sua aculturação (Fig.6) e em suas...
tracking img