restauro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 47 (11681 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de novembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto

TEXTOS SOBRE RESTAURAÇÃO DE MONUMENTOS ARQUITETÔNICOS

TEXTO 01

A ideia de restauração; Camillo Boito

Camillo Boito partiu das ideias de Ruskin e Viollet-le-Duc, conciliando-as.

Entendia que a restauração só deveria ser praticada in extremis, quando todos os outros meios de salvaguarda (manutenção, consolidação, intervenções imperceptíveis),
tivessem fracassado.

Ademais,formulou um conjunto de diretrizes para a conservação e a restauração dos monumentos históricos.

Suas ideias auxiliaram na separação precisa entre os conceitos de restauração e conservação.

Enunciou sete princípios fundamentais para a intervenção em monumentos históricos:

1º-Ênfase no valor documental dos monumentos, que deveriam ser preferencialmente consolidados a reparados e reparada arestaurados.

2º-Evitar acréscimos e renovações, e se fossem necessários, deveriam ter caráter diverso do original, mas não poderiam destoar do conjunto.

3º-Os complementos de partes deterioradas ou faltantes deveriam, seguir a forma primitiva, ser de material diverso ou ter incisa a data de sua restauração ou, ainda, no caso das restaurações arqueológicas, ter formas simplificadas.

4º- Asobras de consolidação deveriam limitar-se ao estritamente necessário, evitando-se a perda dos elementos característicos ou, mesmo, pitorescos.

5º- Respeitar as várias fases do monumento, sendo a remoção de elementos somente admitida se tivesse qualidade artística manifestamente inferior à do edifício.

6º- Registrar as obras, apontando-se a utilidade da fotografia para documentar a faseantes, durante e depois da intervenção, devendo o material ser acompanhado de descrições e justificativas.

7º-Colocar lápide com inscrições para apontar a data e as obras de restauro realizadas.

Procurou separar os conceitos de conservação e restauração, considerando a primeira como a única coisa a se fazer, uma obrigação indispensável à sobrevivência do bem.

Já para segunda, reservou umprincípio distinto indispensável, algumas vezes contrário à conservação.

TEXTO 02
Aspectos históricos da conservação e restauro de objetos de caráter cultural a partir do séculoXIX Falar da história da conservação e do restauro é bastante complexo. Sempre fezparte da história da humanidade tentar preservar os objetos que lhe são, de alguma forma, valiosos, seja por motivos funcionais, estéticos, religiosos ou políticos. Este ensaio visa pensar, de forma sucinta e com um recorte na cultura ocidental, o desenvolvimento dos conceitos teóricos que norteiam as intervenções realizadas a partir do século XIX, período em que surgem as primeiras reflexões dasquais descendem as atuais linhas da conservação. Até então, a atuação profissional era norteada por critérios determinados normalmente por fatores religiosos e econômicos. O primeiro critério adotado, denominado de “devocional”, surge com o desenvolvimento docristianismo no século III e tem como principal finalidade manter a iconografia para que o fiel pudesse facilmente identificá-la e compreendê-la. No século XV, também ligado à Igreja Católica, temos o “critério de decoro”, que se assemelha muito ao devocional, onde corpos nus são cobertos, expressões modificadas e itens acrescentados. A partir do século XVII, com a proliferação do colecionismo e dasgalerias de arte, aparece o “critério de galeria”, segundo o qual os restauradores se colocam a serviço, não da obra e do respeito a sua integridade física, mas da vontade do cliente.
Foi somente quando a noção de monumento se consolidou, pelo reconhecimento de seu valor como documento histórico, que surgiram as primeiras reflexões críticas e foram traçadas a primeiras linhas de conduta ou...
tracking img