Resenha

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1512 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

Fundação Centro de Ciências e Educação a Distância do Estado do Rio de Janeiro
Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro


Universidade Federal Do Estado Do Rio De Janeiro



1

DISCIPLINA: HISTÓRIA DA REGIÃO



AD 2 – SEGUNDA AVALIAÇÃO A DISTÂNCIA – 2013.1









|Aluno(a): RHUANA HELENA DE SOUZA|
|Matrícula: 11216090073 |
|Pólo: RESENDE – CENTRO |





















VELOSO, Mônica Pimenta,As tias baianas tomam conta do pedaço: espaço e identidade cultural no Rio de Janeiro. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 3, n. 6, 1990, p.207-228.


Baianada, uma nova visão

O tema identidade está estreitamente relacionado com o ambiente em que cada homem vive. Tal localidade representa a realidade e ações de cada um. Tornando cada ser humano único, já que cada um estabelece relaçõessingulares com as diversas situações em que se depara ao longo da vida, com outros os indivíduos e com o seu meio.
A cidade do Rio de Janeiro no começo do século XX passa por inúmeras transformações, uma delas é a nova estruturação urbana idealizada pelo então prefeito Pereira Passos. Tal prefeito pretendia criar uma Europa Possível, porém a população africana residente no Rio de Janeiro chegavaa representar 50% da população. Assim, traziam consigo costumes e uma cultura própria. Vindo a confrontar a idealização de uma cidade europeizada, com uma cultura única e erudita.
Tal proposta não cabe no espaço do Rio de Janeiro, escravidão e cidadania estão em lados oposto. Portanto, qualquer individuo com características diferentes da apresentada na idealização de modernidade torna-se umelemento que incomoda e não se ajusta aquela sociedade. Consta-se a relação de espaço e individuo, as relações, os grupos, são criadas a partir de características comuns, o não pertencimento a elas verifica-se a exclusão.
O Rio de Janeiro sempre foi habitado por muitos negros. Com o fim da escravidão, os negros baianos vieram para a capital da República na intenção de melhorias na condição de vida eprincipalmente pelo fato do Rio de Janeiro possuir um ar familiar aos negros. Pois, ali muitos de seus descendentes residiram ali.
Com a chegada de cada vez mais baianos a cidade do Rio de Janeiro, o bairro da Saúde tornou-se um referencial baiano na cidade, pois as conexões entre os conterrâneos era tamanha que conseqüentemente por ali se estabeleciam e desenvolviam expressões e hábitospróprios, diferenciando tal localidade das demais.
Mesmo o governo municipal adotando medidas para desalojar os baianos que viviam na sua maioria no bairro da Saúde e na zona portuária da cidade, esta mesma parcela da população trocava de residência, mas não deixa morrer sua identidade cultural e singular. Unindo-se em momentos estratégicos, como foi a revolta da vacina, em 1904.
O processo dedesenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro é mais ligada e se aproxima mais da realidade das favelas que do modelo idealizado europeu.
A população negra sempre enfrentou muitas dificuldades na inserção e reconhecimento no mercado de trabalho. Porém, surpreendentemente no início do século XX, as mulheres negras tinham mais oportunidade de trabalho do que os homens negros. Mesmo que tais empregosrelacionados em sua maioria a culinária e ao trabalho domestico, fossem baseados na precariedade, vinham deles o sustento das famílias. A mulher negra, diferentemente da sociedade burguesa, onde o homem é o provedor da casa e a mulher se responsabiliza pela casa e o cuidado dos filhos, assegurava a subsistência do casal e da família. Possuindo papel fundamental na vida familiar. Desta forma, o casamento...
tracking img