Resenha vigiar e punir (foucalt,michel))

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1275 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ESCOLA SUPERIOR DOM HELDER CÂMARA
Faculdade de Direito

PROJETO DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR

DIREITO E LINGUAGEM NA PRÁTICA

Newton Pedro Da Pieve Monteiro

Belo Horizonte2009

Newton Pedro Da Pieve Monteiro

VIGIAR E PUNIR (FOUCAULT, Michel)

RESUMO Terceira Parte: Disciplina

36ª Edição P. 131-214

Resenha apresentada à Escola Superior Dom Helder Câmara, referente à disciplina Metodologiada Pesquisa Científica, como requisito para obtenção da nota da primeira avaliação do segundo semestre 2009

Professor: Sebastíen Kiwonghi Bizawu

Belo Horizonte

2009

RECENSÃO

Bibliográfica

FOUCAULT, Michel. Vigiare Punir: Nascimento da Prisão; tradução de Raquel Ramalhete. 36. ed. Petrópolis,RJ:Vozes, 2009, 291pp.

Do original em francês:Surveiller et punir.

Biográfica do Autor Michel Foucault

Michel Foucault, pensador e epistemológico francês, nasceu em Poitiers em 1926. Graduou-se em Filosofia e Psicopatologia, foi importante professor titular da cadeira de Sistemas e Pensamentos noCollège de France. Autor de outras obras como: “História da Loucura” (1961), “Nascimento da Clínica” (1963); sua fama veio, porém, do ensaio de uma epistemologia social com a obra “As Palavras e as Coisas” (1966). Apesar de essas obras seguirem o caráter pós-estruturalista, o autor pode ser considerado estruturalista por obras seguintes, como “Vigiar e Punir” e “A História da Sexualidade”. Nos dias dehoje seus cursos dados no Collège de France são transcritos e publicados. Faleceu em julho de 1984 por complicações em uma infecção em seu corpo já debilitado pela AIDS.

RESUMO DA TERCEIRA PARTE: DISCIPLINA .

Capítulo I – Os Corpos Dóceis

Foucault descreve a evolução do uso da disciplina e suas ferramentas, no processo de fabricação dos corpos dóceis. Durantea época clássica foi descoberto o corpo como objeto e alvo de poder, um corpo que se manipula, modela e responde.

Esse esquema de docilidade corporal sofreu modificações no século XVIII com o uso de novas técnicas. A escala é trabalhada de maneira mais detalhada e o objeto visando maior eficiência, é o uso da coerção,para o aprimoramento corporal. É a disciplina como uma arte de umcorpo, em que o aumento da obediência concentra no aumento da utilidade.

Anatomia política como é chamado esse desmembramento e reconstrução corporal para aperfeiçoar e dominar, não é algo totalmente inovador. Instituições militares e de ensino já faziam uso de ferramentas disciplinares e princípios institucionais religiosos. Do estudo do detalhe, sem dúvida, nasceu o humanismo moderno.Das técnicas para a coerção disciplinar é importante controlar o espaço, distribuição, tempo, do ambiente de trabalho e dos trabalhadores,assemelhando a engrenagens de uma maquina.Buscando um corpo mecânico, projeto na perfeição disciplinar, apareceu um novo objeto, o corpo natural. O processo de repetição e enquadramento, exigindo a suavidade corporal em seus mínimos detalhes, vai de encontro àscondições de funcionamento próprias a um organismo. Em todo caso essa individualidade parece um efeito e um objeto da disciplina, sendo que no uso do exercício, coerção contínua e crescente, o corpo vai se mantendo na linha temporal evolutiva rumo à perfeição ideal.

A cooperação e a idéia de um resultado superior, diante do produto das forças foram as premissas para a criação da tática...
tracking img