Resenha do livro em costas negras do manolo florentino

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (699 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Relatório de leitura sobre o texto “Em Costas Negras: Uma história do tráfico de escravos entre a África e o Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX)”.




➢ A partir da leitura do texto citado,foi possível a elaboração deste relatório, considerando as questões 1, 2, 3 e 5.


A princípio, Manolo Florentino cita os autores Caio Prado, Celso Furtado, Fernando Novais e Gorender pornão realizarem uma análise profunda das razões que levaram o continente africano a suprir a demanda de escravos para o Brasil.
No caso de Caio Prado, Manolo explica que ele demonstra que o Brasilseguiu o exemplo dos portugueses no comércio de africanos, pelo fato de Portugal estar sempre presente nos territórios onde havia o tráfico negreiro. Mas sua crítica é pelo fato de Caio Prado insinuaque o continente africano foi passivo no fornecimento de escravos para a colonização Afro-América.
Ao citar Celso Furtado, faz uma comparação com Caio Prado em relação à passividade africanapara o tráfico negreiro, mas cita que em vez de insinuar, como Prado, Furtado deixa de modo explícito essa afirmação. Para Furtado, a escravidão surgiu devido ao problema de mão-de-obra. Ele insiste naescravização indígena e como entraram em cena os africanos, e, dessa forma, Manolo critica que a exploração indígena já era plano inicial na colonização e que Furtado não foi além em explicar asraízes de entrada africana no esquema de produção colonial.
Passando para Fernando Novais, Manolo reconhece que a afirmação de Novais em que o tráfico era uma força de trabalho que tratava a rotaçãodo capital. Mas critica uma citação em que Novais diz que a escassez demográfica europeia não serviria de explicação para a adoção da mão-de-obra escrava. Manolo concorda com o envolvimento dosafricanos como elemento estrutural da dinâmica mercantilista, mas cita que Novais não se estende ou não explicita como se deu a participação dos africanos nesse contexto.
Por fim, Manolo cita...
tracking img