Resenha chato o rei do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1019 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Angélica Boscariol Ferreira
Livro: Chatô O Rei do Brasil
Autor: Fernando Morais
Editora: Cia das Letras

A Pedidos
Aquele que acusava a todos de ter o rei na barriga, talvez fosse o que mais o tivesse. Por um bom tempo Assis Chateaubriand foi o rei de um grande império de comunicação no Brasil. Com a ajuda de pessoas influêntes que conheceu ao longo dos anos, uma grande habilidade de vendere impor suas idéias, Chatô, como era conhecido, conseguiu ir de um franzino menino gago e feio, com problemas de timidez e analfabeto, ao mais poderoso formador de opinião, ainda assim, franzino e feio.
Nascido em Umbuzeiro, tinha o sangue quente típico dos paraibanos. Tornou-se extremamente egocêntrico, talvez de tanto ouvir sua própria voz nos treinamentos nos quais conversava consigo mesmoafim de livrar-se da gagueira. E livrou-se. Aos dez anos, ainda analfabeto, começou a se interessar pela leitura de velhos jornais. Em pouco tempo já lia e escrevia.
Todos os sonhos e ambições que Chatô tinha, com esforço e utilizando-se de meios escusos, conseguia conquistar. Quis trabalhar em um jornal, conseguiu. Quis escrever sua opinião, escreveu. Quase sem experiência de repórter, conseguiuas mais difíceis entrevistas em sua primeira viagem à Europa. Seu método: A cara de pau, bons argumentos, às vezes chatagem emocional e jogos psicológicos. Um talento nato, que seria usado tanto para o bem, quanto para o mal, mas sempre para o seu próprio bem.
Dono de uma forte e poderosa opinião, conseguiu fazê-la ser ouvida com artigos venesos. Porém, quando divergia da opinião dos donos dosjornais, era automáticamente podado, e como a teimosia e birra foram algo que adquiria conforme crescia, acabava demitido ou demitindo-se. Chatô percebeu que se quisesse ter opinião, precisaria comprar um jornal, frase que ele utilizaria ao longo de sua vida aos futuros “Chatobriands” que tentassem o mesmo em algum de seus veículos.
Ao ler o livro de Fernando Morais é possível se pegar concordando,aplaudindo, discordando e repudiando inúmeras atitudes do comunicador intitulado O Rei do Brasil. Suas nobres batalhas nas páginas dos jornais, armado até os dentes com lápis, pedaços de papel e garranchos, defendendo ideais, defendendo pessoas, o povo, empresários e políticos.
E também suas inescrupolosas batalhas, utlizando basicamente o mesmo armamento, acrescido de polêmicas, informaçõesfalsas, perseguição, ameças e isso tudo contra os mesmos ideais, povo, empresários e políticos que antes defendia. Isso o fazia conhecido por estar sempre com um pé em cada canoa, se uma afundasse, ele estaria na outra.
Chatobriand era defensor da entrada de empresas estrangeiras no Brasil, da importação de seus produtos e estampava isso nas páginas dos jornais. Quando lhe convinha, Chatô eranacionalista, repudiava o capital estrangeiro, incentivava a população a consumir produstos nacionais, e em vez de viajarem para o exterior, viajar pelo próprio país, fazendo o capital girar. Isso também estampado nas páginas, sempre quando lhe convinha.
Chatô claramente usava os jornais para atacar seus inimigos do momento (que em tempos depois poderiam vir a ser aliados). Denunciava irregularidadesde empresas que não anunciavam em seus veículos, e somente quando recebia um cala boca em forma de contrato publicitário, ele ia procurar outro para atazanar.
Política era o assunto que ele mais dicutia. Sempre estava tentando tirar alguém do poder e colocar outro por meio dos venenosos artigos. Quando este não mais servisse aos seu propósitos, podia se preaparar para ser o novo alvo daquelehavia ajudado a conquistar o poder.
Um bom exemplo foi Getúlio Vargas, que Chatô moveu mundos e fundos, juntou-se a revolução e até de armas em punho marchou, rumo à vitória de Vargas. Depois entraria em conflito diversas vezes com Chatô, que por sua vez voltaria ao circulo vicioso de derrubar aquele que ajudou a levantar.“Eu já havia me aliado a Virgílio contra o ditador, agora me alio a esse...
tracking img