Resenha - as origens do pensamento grego

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1842 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Cabeçalho:
VERNANT, Jean Pierre. As origens do pensamento grego. São Paulo, Ed. EDUSP, 2001.
Informações sobre o autor:
Jean-Pierre Vernant (4 de janeiro de 1914 -9 de janeiro de 2007) foi um historiador e antropólogo francês, especialista na Grécia Antiga, particularmente na mitologia grega. Foi professor honorário do Colégio Francês. Inicialmente prosseguiu os estudos emfilosofia, e recebeu a sua admissão neste campo em 1937. Vernant iniciou seu estudo em 1948, sobre a noção platônica de trabalho, nessa época conheceu aqueles q seriam suas duas máximas influencias Ignace Meyerson (considerado o pai da psicologia histórica) e Louis Gernet.
Como membro dos "jovens comunistas", juntou-se à Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial. Foi também membro da"Libération-Sud" fundada por Emmanuel d'Astier. Depois disso comandou as "Forças Francesas do Interior" (FFI) na Haute-Garonne sob o pseudônimo de "Colonel Berthier". Ele foi um "Companheiro da Libertação".
Depois da guerra permaneceu no Partido Comunista Francês. Foi membro do comitê francês de patrocínio, Década para a Promoção da Cultura de Paz e Não-Violência para as Crianças do Mundo. Elefinanciou a organização Non-Violence XXI desde a sua criação em 2001.
Entrou no CNRS, "centro nacional de pesquisa científica", em 1948 e, sob a influência de Louis Gernet regressou aos estudos da antropologia da Grécia Antiga. Dez anos depois se tornou diretor de estudos na (EHESS), "escola para estudos avançados em ciências sociais". Ele escreveu freqüentemente em ambos sobre as semelhançase as diferenças entre a Grécia Antiga e a moderna Sociedade Ocidental, com notável consideração pela prática da democracia.
Foi galardoado com a medalha de ouro do CNRS em 1984. Em 2002 recebeu um doutoramento "Honoris Causa" pela Universidade de Creta.
A sua interpretação do mito de Prometeu teve uma importante influência no filósofo Bernard Stiegler. Fez também diversos trabalhosrealacionados ao estudo da mitologia grega e também estudos assinalando que a tendência pan-helenica de cultura grega não anulou as diferenças locais.
Suas principais obras são: Mito e Pensamento entre os gregos: Estudos de Psicologia Histórica, Mito e sociedade na Grécia antiga, mito e tragédia na Grécia Antiga, As origens do pensamento grego e o Homem grego.
Exposição do conteúdo:
Nestetexto, Vernant fala sobre a polis. Como se deu sua formação, consolidação e qual a sua importância para o desenvolvimento dos gregos e do Ocidente de um modo geral. A consolidação da polis grega foi muito importante para o desenvolvimento de todo o Ocidente, quando ela foi efetivada, entre os séculos VIII e VII, as noções de relações sociais se alteraram. O período da Grécia arcaica era umperíodo de profundas mudanças. Vários agrupamentos constroem cidadelas e fortalezas para as suas defesas. A partir daí, ao redor dessas cidadelas começam a surgir cidades. As pessoas migram para obter a proteção dessas fortalezas e ali vão se estabelecendo. Surgem pólos comerciais e até sedes governamentais. Nesta época surge Atenas, Tebas, Megara; no continente surge Esparta e Corinto no Peloponeso;Mileto e Éfeso na Ásia Menor; Mitilene, Samos e Cálcis nas ilhas do mar Egeu.
A monarquia abre espaço a uma oligarquia urbana, onde economicamente predominam o artesanato e o comércio, apesar de não haver uma unidade monetária. Essa “independência” falta de um poder centralizado, foi critério fundamental para o surgimento da polis.
A palavra pólis é derivada da palavra política. A polis vemdesse direito do cidadão de reger sua cidade. Obviamente existiam parâmetros, mas a polis era onde se exercitava a arte erística. A arte erística é esse amor à discussão, a arte da discussão, o amor pela discussão só pelo fato de se discutir. É isso que movimenta a polis grega, a controvérsia.
Entre a política e o logos, há assim relação estreita, vínculo recíproco. A arte política é...
tracking img