Relatorio de estagio

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1787 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE – UNINORTE
COORDENADORIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA





















A CRISE GOMÍFERA NO AMAZONAS NA DÉCADA DE XX
























MANAUS – AM
2011
ALUNO:

LUCIANO FERREIRA DO RÊGO




















A CRISE GOMÍFERA NO AMAZONAS NA DÉCADA DE XX




Projeto de PesquisaCientífica apresentado para a obtenção de nota, ministrada pelo Profo. MSc Pedro Marcos Mansur, do Centro Universitário do Norte – UNINORTE.
















MANAUS – AM
2011
1. INTRODUÇÃO

A história econômica brasileira consiste de uma série de ciclos de expansão e fracasso, a expansão da borracha na Amazônia é um excelente ponto de partida. Repetindo um modelo bastanteconhecido, a produção da borracha na Amazônia decolou em função do aumento da demanda estrangeira de borracha bruta, numa época em que a Amazônia era o único fornecedor Mundial. A economia de exportação, resultante desta confluência de forças econômicas e ambientais, gerou um crescimento comercial e demográfico sem precedentes na região e fez de uma área esquecida e muito atrasada um dos maispromissores centros de comércio do Brasil. Depois, exatamente no momento em que os preços da borracha silvestre chegavam ao seu nível mais alto, a borracha cultivada na Ásia começou a surgir em grandes quantidades no mercado mundial. Com custos de produção e de transportes mais baixos, a borracha cultivada virtualmente expulsou o produto amazônico do mercado, e a economia regional entrou praticamente emcolapso num prazo de poucos anos.
Este estudo relata o desenrolar da crise da economia gomífera muito antes de sua inteira derrocada, a partir de 1913, quando o látex asiático inundou de vez o mercado, oferecendo grande quantidade desse produto a um preço muito abaixo do até então praticado, forçando a revoada do capital externo assentado na Amazônia para outras regiões do planeta.
Diante disso edas crescentes pressões externas do mercado, assomadas ao tamanho descaso e corporativismo dos grupos que controlavam os poderes centrais, além da falta de compromisso com a Federação e do espírito da coisa pública, a economia amazônica; a exportação do látex, não pôde resistir: o ciclo da borracha chegara ao seu fim. Esse duro golpe sofrido pelos produtores de borracha da região norte ainda podeser compreendido em razão da falta de estímulo do governo imperial, atrelado ao interesse econômico dos cafeicultores.










2. JUSTIFICATIVA

Por quase cinqüenta anos, da segunda metade do século XIX até a segunda década do século XX, a borracha natural sustentou um dos mais importantes ciclos de desenvolvimento do Brasil. Naquela época, a revolução industrial se expandiavelozmente e o mundo vivia período histórico de prosperidade e descobertas que se refletiam em todos os setores.
Este surto da borracha fez enriquecer as cidades de Manaus e Belém. A capital amazonense torna-se o centro econômico do país. A cidade cresce, lentamente, impulsionada pelo desenvolvimento do comércio extrativista da região e começa a experimentar anos de prosperidade. A produção amazônicachega a 42 mil toneladas anuais e o Brasil domina o mercado mundial de borracha natural em 1912.
O clima de euforia dura até 1910, quando a situação começa a mudar, a partir daquele ano entram no mercado as exportações de borracha a partir das colônias britânicas e o Brasil não suporta a feroz concorrência que lhe é imposta.
A Inglaterra havia adquirido cerca de 70.000 sementes do inglês HenryWickham, em 1875, provavelmente contrabandeadas, das quais 2.600 haviam florescido. A diferença técnica de plantio e extração do látex no Brasil e na Ásia foi determinante para os resultados da exploração como negócio. Mas até hoje, se pergunta, porque os brasileiros não fizeram nada para que os asiáticos fossem impedidos de levar as plantações para fora do país brasileiro?
Privilegiava-se a...
tracking img