PSICOTERAPIA BREVE

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 31 (7549 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de maio de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA
CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA


PROJETO DE PESQUISA:
“A importância sobre a inserção da Psicoterapia Breve Focal nos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS)”





NATASCHA LORENA MEDEIROS DA SILVA


Recife, Maio de 2006.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
CENTRO DEFILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA
CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA



PROJETO DE PESQUISA:
“A importância sobre a inserção da Psicoterapia Breve Focal nos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS)”




Projeto de Pesquisa elaborado pela aluna
Natascha Medeiros sob a orientação da professora Mônica Melo apresentado ao colegiado do Curso de Psicologia da UniversidadeFederal de Pernambuco, como requisito para avaliação da disciplina Prática de Pesquisa 1 do Curso em Psicologia.



Recife, Maio de 2006.
1. IDENTIFICAÇÃO DA ALUNA:
Nome: Natascha Lorena Medeiros da Silva
Curso: Psicologia
Período: 10º período
Matrícula: 310.168.643
2. IDENTIFICAÇÃO DA ORIENTADORA:
Nome: Profa. Mônica Cristina Batista de Melo
CRP: 02/6575.













Poisfica decretado a partir de hoje, que psicoterapeuta é gente também.
Sofre, chora, ama, sente, e de vez em quando, precisa falar.
O olhar atento, o ouvido aberto, acolhendo a tristeza do outro, quando, às vezes, a tristeza maior encontra-se no próprio peito.
Quanto a mim fico triste, fico alegre e sinto raiva também.
Sou de carne, sou de osso e quero que você saiba isto de mim.
Agora, que jásabes que sou gente, quer falar de você para mim?

Composição a partir da poesia de Cyro Martins











RESUMO

O presente projeto de pesquisa tem como objetivo estudar o enfoque da Psicoterapia Breve Focal (PBF) nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). O local de estudo será o CAPS Esperança, que trás como elemento norteador a terapêutica substitutiva das internaçõesmanicomiais e sua rede de serviços comunitários em Saúde Mental. Será realizado o estudo de um caso a partir da observação participante do grupo de PBF, que funciona dentro do referido CAPS. Entende-se a PBF como um tratamento de natureza psicológica, de inspiração psicanalítica, cuja duração é limitada, busca obter uma melhora na qualidade de vida em curto prazo, escolhendo um determinado foco para sertrabalhado. Para uma melhor contextualização, atravessaremos a história da Reforma Psiquiátrica, que promoveu o questionamento do modelo hospitalocêntrico e impulsionou o processo de desinstitucionalização. Conectaremos a essa exposição a apresentação da justificativa, objetivos e metodologia, que serão trabalhados dentro do projeto em tela.





1. Sobre os Centros de Atenção Psicossocial(CAPS)

A discussão sobre Saúde Mental trás em seu bojo a contribuição da Reforma Psiquiátrica como campo de estudos e ações. Este é um movimento que vem se consolidando no Brasil, desde a década de 80, quando um grupo de sanitaristas passou a questionar as práticas em saúde mental existentes, eminentemente asilares. Tal movimento foi se ampliando e se tornando “um processo permanente deconstrução, de reflexões e transformações que ocorrem num só tempo nos campos assistencial, cultural e conceitual” (Amarante, 1998, p.165).
O movimento pela Reforma Psiquiátrica possibilitou o surgimento de novas modalidades assistenciais, dentre as quais, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), que foi produzido com o intuíto de oferecer uma assistência psiquiátrica pública de qualidade, ou seja, umatendimento especializado ao sujeito portador de transtorno mental, em substituição ao modelo asilar (hospital fechado/manicômio).
O processo de desinstitucionalização se revelou como processo de desconstrução do manicômio, uma vez que este representava o lugar de uma psiquiatria improdutiva, excludente social, marginalizada. O pressuposto de periculosidade que fora vinculado ao paciente...
tracking img