Psicologia social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 39 (9627 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1

Representações sociais: um domínio em expansão.
Denise Jodelet*

Sempre necessitamos saber o que temos a ver com o mundo que nos cerca. É necessário ajustar-se, conduzir-se, localizar-se física ou intelectualmente, identificar e resolver problemas que ele põe. Eis porquê construímos representações. E, da mesma forma que, ante as
coisas, pessoas, eventos ou ideias, não somos equipadosapenas com automatismos, igualmente não somos isolados em um vazio social: compartilhamos o mundo com outros, neles nos
apoiamos — às vezes convergindo; outras, divergindo — para o compreender, o gerenciar ou
o afrontar. Por isso as representações são sociais e são tão importantes na vida cotidiana. Elas
nos guiam na maneira de nomear e definir em conjunto os diferentes aspectos de nossa realidadecotidiana, na maneira de interpretá-los, estatuí-los e, se for o caso, de tomar uma posição
a respeito e defendê-la.
Com as representações sociais tratamos fenômenos diretamente observáveis ou reconstruídos por um trabalho científico. Esses fenômenos tornaram-se, depois de alguns anos,
um objeto central das ciências humanas. Em torno deles constitui-se um domínio de pesquisa
dotado deinstrumentos conceituais e metodologias próprias, interessando a muitas disciplinas, como fica claro na composição da presente obra. Este capítulo esboça um quadro desse
domínio e das questões a respeito dessas realidades mentais, cuja evidência é cotidianamente
sensível para nós.
A observação das representações sociais é, de fato, facilitada em muitas ocasiões. Elas
circulam nos discursos, sãocarregadas pelas palavras, veiculadas nas mensagens e imagens
mediáticas, cristalizadas nas condutas e agenciamentos materiais ou espaciais. Apenas um
exemplo para ilustrar.
Representações sociais em ação
Quando a AIDS apareceu, por volta de uns dez anos, a mídia e as conversações depararam-se com esse mal desconhecido e estranho cuja proximidade não estava ainda evidenciada. De início foi descritaem suas formas trágicas e fatais. Depois, soube-se quem era contaminado e se perguntou como e porquê. Antes da pesquisa científica trazer algumas clarificações sobre sua natureza, as pessoas elaboraram "teorias" apoiando-se nos dados de que dispu*

Jodelet, D.: Représentations sociales: un domaine en expansion. In D. Jodelet (Ed.) Les représentations sociales. Paris: PUF, 1989, pp. 31-61.Tradução: Tarso Bonilha Mazzotti. Revisão Técnica: Alda Judith AlvesMazzotti. UFRJ- Faculdade de Educação, dez. 1993. Uso escolar, proibida a reprodução.

2
nham sobre os portadores (drogados, hemofílicos, homossexuais, recebedores de transfusões
de sangue) e os vetores (sangue, esperma) do mal. O que se sabia da transmissão da doença e
de suas vítimas favoreceu, em particular, a eclosão de duasconcepções, uma de tipo moral e
social e outra de tipo biológico, cada uma tendo uma incidência evidente sobre os comportamentos, nas relações íntimas ou face-a-face das pessoas alcançadas pela doença.
No primeiro tipo de interpretação, a AIDS é considerada como uma doença-punição
abatendo-se sobre a licenciosidade sexual. Markova e Wilkie (1987) levantaram na imprensa
expressões em que a AIDSé, como o foi a sífilis (Quetel, 1986), considera o efeito de uma
sociedade permissiva, condenação de “condutas degeneradas”, punição da “irresponsabilidade
sexual”, flagelo do qual “os bons cristãos que não sonham conduzir-se mal” são poupados. As
autoras observam, correlativamente, uma retomada dos valores familiais tradicionais, o que é,
ao mesmo tempo, uma garantia de proteção contra adoença e uma defesa de uma ordem moral conservadora. Daí a denúncia das medidas que objetivam assegurar uma vida sexual livre,
mas sadia, notadamente pelo uso de preservativos. Esta interpretação moral espontânea foi
muito encorajada pelas instâncias religiosas. Pollack (1988) deu o Brasil como exemplo onde
uma conferência nacional de bispos ergueu-se contra as campanhas governamentais de...
tracking img