Protocolos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 15 (3685 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
CONVULSÕES

Conceito

As convulsões são contrações musculares, que se manifestam por movimentos rítmicos involuntários e anormais, acompanhados de alterações do tónus muscular, esfíncteres e do comportamento, como resultado de uma descarga eléctrica paroxística dos neurónios cerebrais. É um fenómeno frequente até aos 5 anos, sendo em mais de metade, convulsões febris, com um prognósticotranquilizador.

Diagnóstico

Interrogatório
* Antecedentes (pessoais e familiares)
* Fatores desencadeantes
* Desenvolvimento psicomotor

Descrição da crise
* Febril ou não
* Tônica ou clônica
* Parcial ou generalizada
* Revolução ocular
* Hipersialorreia
* Duração →Crise prolongada ≥15min
* Frequência
* Déficit motor post-crise
* Tratamentoanterior

Exame neurológico (importante descartar sinais de infecção do SNC)
* Normal
* Anormal

Classificação das convulsões infantis
* Convulsões neonatais (até 28 dias)
* Convulsões com febre
* Infecção do sistema nervoso central (meningite e paludismo)
* Convulsões febris
* Convulsões sem febre
* Epilepsia

Etiologia
* Infecção
* Traumatismo
*Intoxicação
* Privação de drogas
* Metabólica
* Vascular
* Tumor do SNC
* Malformações congênitas

Convulsões neonatais (até 28 dias de vida)

Atenção às convulsões sutis (movimentos rotatórios dos globos oculares, clonias palpebrais, crises de cianose, movimentos mastigatórios, movimentos de pedalagem,boxe, apneia).

* Hipóxia/anóxia (intrauterina ou perinatal)
*Isquemia cerebral
* Hemorragia intracraneana
* Infecção do sistema nervoso central
* Metabólica (Hipoglicemia, Hipocalcemia, deficiência de piridoxina)
* Privação de drogas
* Erros inatos de metabolismo
* Anomalias estruturais do SNC
* Transtornos hereditários

Conduta / Tratamento

* Manter as vias aéreas permeáveis (aspirar secreções, cânula orofaringe)
*Decúbito lateral (exceto se existir traumatismo prévio) O2 a 100%
* Avaliar coloração, movimentos torácicos, FR, PA, FC, TA e perfusão periférica
* Canalizar veia periférica com SG 5%
* Corrigir a hipoglicemia se < 40mg/dl. Administrar
* SG10% 2ml/kg ev, seguido de SG 5% com velocidade de infusão glucose (vig), de 5 mg/kg/min de manutenção
* Corrigir hipocalcemia se Ca+ <7mg/dl. Administrar Ca 10%, 1ml/kg EV
* Corrigir hipomagnesemia se Mg+ <1,5 mg/dl. Administrar Sulfato de magnésio a 50% 0,1 a 0,2ml/Kg, IM ou EV lento. A dose pode ser repetida 12 a 24 h depois se necessário.

Fenobarbital

* Dose de impregnação -15 mg/kg EV, diluído em SF, durante 30 min, sob vigilância cardiorrespiratória.
* Se não ceder, repetir Fenobarbital 10 mg/Kg EV.
*Manutenção 3-5 mg/Kg/ dia em 2 doses
* Se não ceder transferir para Hospital
* Fenitoina →15 mg/kg EV lento, diluído em SF, em 20 minutos; depois
* 3 - 5mg/kg/d 12/12h
* Piridoxina ( se convulsão refratária) →50 a 100 mg EV

Em caso de persistência e sob ventilação assistida:

* Clonazepan 0,1 a 0,2 mg/kg ev (30 segundos). Depois, infusão de 0,01-0,03 mg/kg/hora. Passar à viaoral, dose única, quando controlada a convulsão.
* Tiopental, 5 mg/Kg EV lento. Depois 2-4mg/Kg/hora
* Suspensão do tratamento 1 a 2 semanas após a última convulsão, na ausência de fatores de risco, com manutenção da vigilância por mais 1 semana.
* Na presença de fatores de risco, manter Fenobarbital por 3 meses e suspender o tratamento, na ausência de convulsões e EEG sem alterações.Convulsões em lactentes e crianças
* Febril: Sepse, Infecção SNC
* Alterações hidroeletrolíticas
* Traumatismo Crânio-encefálico (TCE)
* Neurocistecercose
* Intoxicações (aminofilina, salicilatos e álcool)
* Tumores do SNC
* Epilepsia

Convulsões em adolescentes
* Níveis baixos de anticonvulsivantes
* TCE
* Neurocistecercose
* Epilepsia
*...
tracking img