Prostituicao infantil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4893 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Prostituição infanto-juvenil: revisão sistemática da literatura
Prostitución infante juvenil: análisis de una revisión sistemática de la literatura
Moneda Oliveira RibeiroI; Aretuzza de Fátima DiasII
IEnfermeira. Professora Doutora do Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Líder do grupo de pesquisa "A criança emsituação de exclusão social e/ou violência". São Paulo, SP, Brasil. moneda@usp.br
IIEnfermeira. Mestranda em Enfermagem Pediátrica do Programa de Pós-graduação da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. are_usp@yahoo.com.br
Correspondência

RESUMO
Este trabalho buscou compreender como a prostituição infanto-juvenil está sendo explicada pelos pesquisadores,utilizando um extenso levantamento bibliográfico de artigos científicos, nacionais e internacionais. Conseguiu-se acessar vinte referências, que foram analisadas integralmente segundo o método de Análise de Conteúdo. A análise consistiu em responder como esse fenômeno é representado pelo autor em relação aos conceitos, causas, efeitos e soluções apontados nas referências. Encontrou-se que os autoresabordam o tema como um meio de sobrevivência, decorrente de uma sociedade desigual, adultocêntrica e machista, causando adoecimento mental e físico na criança.
Descritores: Prostituição. Criança. Violência. Violência sexual.

RESUMEN
Este trabajo buscó comprender, por medio de un extenso levantamiento bibliográfico de artículos científicos, nacionales e internacionales, como la prostitucióninfante juvenil está siendo explicada por los investigadores. Se consiguió acceder a veinte referencias completas, que fueron analizadas según el método del Análisis de Contenido. El análisis consistió en responder ¿Cómo ese fenómeno es representado por el autor, en relación a los conceptos, causas, efectos y soluciones apuntados en las referencias?. Se encontró que los autores abordan el tema como unmedio de sobrevivencia, proveniente de una sociedad desigual, centrada en el adulto y machista, lo que ocasiona en el niño una enfermedad mental y física.
Descriptores: Prostitución. Niño. Violencia. Violencia sexual.

INTRODUÇÃO
A sexualidade está presente no ser humano desde a tenra idade. As crianças apresentam comportamentos sexuais conforme sua fase de desenvolvimento(1). O respeito àmanifestação desses comportamentos é um direito da criança e cabe ao adulto assegurá-lo. A condição para um desenvolvimento sexual saudável consiste em permitir que a criança vivencie e conheça as atividades sexuais próprias da idade. Seu desenvolvimento pode tornar-se problemático quando a criança vivencia práticas inadequadas para sua faixa etária por interferência do adulto, vindo acaracterizar violência ou abuso sexual.
A violência contra a criança é fruto de concepções históricas e políticas do ser criança. A sociedade nunca a tratou com os mesmos direitos que o adulto. Este exerce, no cotidiano, um domínio além do exercício da autoridade de pais, professor, etc. A relação de inferioridade da criança frente ao adulto é abordada em estudos sobre a história da infância no mundo(2). Ahegemonia do adulto sobre a criança é uma forma de autorização velada, sutil, que favorece a ocorrência de distintas manifestações da violência contra a criança, seja em âmbito familiar ou extrafamiliar.
A mobilização internacional a favor dos direitos da criança resultou na Convenção dos Direitos da Criança na Assembléia da ONU de 1989, que desencadeou o compromisso de efetividade dadeclaração em diversos países. No Brasil, criou-se o Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que regulamenta o art. 227 da Constituição Brasileira de 05 de outubro de 1988. A partir desse momento, a criança passou a ser um sujeito de direito, uma cidadã a quem o Estado, a sociedade e a família devem assegurar-lhe direitos(3).
Por séculos, a violência foi vista como...
tracking img