Pronomes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3225 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PRONOME PESSOAL OBLÍQUO ÁTONO NOS TEMPOS COMPOSTOS E NAS LOCUÇÕES VERBAIS
DATA: 22 DE AGOSTO DE 2012


1 INTRODUÇÃO


É a parte da gramática que trata da correta colocação dos pronomes oblíquos átonos na frase.
Embora na linguagem falada a colocação dos pronomes não seja rigorosamente seguida, algumas normas devem ser observadas, sobretudo, na linguagem escrita.

Existe umaordem de prioridade na colocação pronominal: próclise, mesóclise e ênclise.

Próclise é a colocação pronominal antes do verbo. A próclise é usada 1) Quando o verbo estiver precedido de palavras que atraem o pronome para antes do verbo. São elas: em: a) Palavras de sentido negativo: não, nunca, ninguém, jamais, etc., b) Advérbios, c) Conjunções subordinativas, d) Pronomes relativos, e)Pronomes indefinidos, f) Pronomes demonstrativos, 2) Orações iniciadas por palavras interrogativas; 3) Orações iniciadas por palavras exclamativas; 4) Orações que exprimem desejo (orações optativas).

Mesóclise é a colocação pronominal no meio do verbo. A mesóclise é usada quando o verbo estiver no futuro do presente ou futuro do pretérito, contanto que esses verbos não estejam precedidos depalavras que exijam a próclise.

Ênclise é a colocação pronominal depois do verbo. A ênclise é usada quando a próclise e a mesóclise não forem possíveis: 1) Quando o verbo estiver no imperativo afirmativo; 2) Quando o verbo estiver no infinitivo impessoal; 3) Quando o verbo iniciar a oração; 4) Quando houver pausa antes do verbo; 5) Quando o verbo estiver no gerúndio.



2 PRONOMEÁTONO E LOCUÇÕES VERBAIS:


1) As palavras, em português, têm uma de suas sílabas pronunciada com mais força (sílaba tônica) do que as outras, que são fracas (sílabas átonas). A exceção fica para alguns monossílabos e raros dissílabos, nos quais não há sílabas tônicas, mas apenas átonas.

2) Quanto aos vocábulos átonos, estes, na pronúncia, postam-se sempre na dependência sonora de uma sílabatônica. Assim, quando se diz "Passe-me o pão, por favor", percebe-se com clareza tal fenômeno, a ponto de, na pronúncia, serem identificadas apenas três palavras, e não seis: "Pásseme o pão, por favor".

3) Quanto aos pronomes pessoais oblíquos átonos, exatamente por não terem autonomia sonora, dependem do verbo por eles acompanhado, cingindo-se a questão a verificar onde a sonoridade melhoraconselha seu posicionamento:


a) em próclise (antes do verbo), como em "O juiz não se conteve";
 
b) em mesóclise (no meio do verbo), como em "Realizar-se-á o júri, como previsto";
 
c) em ênclise (depois do verbo), como em "Conteve-se o advogado..."


4) Estudar o melhor lugar para o pronome em relação ao verbo, em tais casos,é assunto para a topologia pronominal ou colocação dos pronomes.
 
5) De modo mais específico para o caso em estudo, é de se ver que, nas locuções verbais (dois ou mais verbos fazendo o papel de um só), três são as hipóteses, em tese, de colocação dos pronomes:


a) em próclise ao verbo auxiliar, como em "Eu lhes estou mostrando meu trabalho";
 
b) emênclise ao verbo auxiliar, como em "Eu estou-lhes mostrando meu trabalho";
 
c) em ênclise ao verbo principal, como em "Eu estou mostrando-lhes meu trabalho". 


6) Não se olvide, ademais, que, em tais casos, o pronome não se refere ao verbo auxiliar ou verbo principal separadamente; ele completa a locução verbal como um todo. Exs.: 


a) "As situaçõesestão-se desenvolvendo perpetuamente" (a locução é estão desenvolvendo);
 
b) "Vou-lhe permitir sair mais cedo" (a locução é vou permitir);
 
c) "Quer-me fazer o favor de sair?" (a locução é quer fazer).


E se veja que tal caso é totalmente diferente da mera justaposição de dois verbos autônomos, que não compõem uma locução verbal, em que...
tracking img