Projetos sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1525 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
POR QUE ATUAR EM REDES ?

Como a Gestão em Redes Sociais pode contribuir para maximizar os esforços empreendidos pelas organizações do Terceiro Setor em nosso Estado.

As redes tem sido saudadas, nas duas últimas décadas, como a mais significativa inovação humana no campo da organização da sociedade. As organizações do terceiro setor têm sido pioneiras na criação e manutenção de redes, queoperam nos níveis local, regional, nacional e internacional, seja para a troca de informações, para a articulação política ou para a implementação de ações conjuntas. Sem chefe, mas com liderança. Sem cabeça, mas toda pensante, a rede funciona. Fluida, plástica , dinâmica, a rede se sustenta tão somente pela vontade de seus integrantes. Essa aparente fragilidade é sua grande força.
Uma rede é umsistema de nós e elos capaz de organizar pessoas e instituições, de forma igualitária e democrática, em torno de um objetivo comum.
As Redes Sociais podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, redes de relacionamentos, redes profissionais, redes comunitárias, redes políticas, dentre outras e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade , e como como osindivíduos alcançam os seus objetivos.
A noção de rede como um emaranhado de relações das quais os indivíduos constituem os nós, significa uma transformação das ideias sobre organização social.
As redes surgem como uma linguagem de vínculos entre as relações sociais e as organizações que interagem , medidas por atores sociais que buscam entender de maneira compartilhada a realidade social.Nas redes, os objetivos definidos coletivamente, articulam pessoas e instituições que se comprometem em superar de maneira integrada os problemas sociais. Essas redes são construídas entre seres sociais autônomos, que preservam sua identidade, mas compartilham objetivos que orientam sua ação, respeitando as diferenças de cada membro ( Villasante, 2002).
Daí a importância de que cada organizaçãopública, seja estatal ou privada, desenvolva seu saber para colocá-lo de maneira integrada a serviço do interesse coletivo. A rede de organizações estabelece acordos de cooperação, de alianças e de reciprocidade. Essas novas práticas de cooperação constituem um meio de encontrar saídas para intervir na realidade social complexa.
Nessa perspectiva a rede é uma construção coletiva, que se define namedida que é realizada. . Sua verdade está na sua concretização, na superação das determinações sociais mediante o estabelecimento de parcerias entre sujeitos individuais ou coletivos, mobilizados por objetivos construídos e apropriados coletivamente, para a construção de uma nova realidade social ( Junqueira, 199, p.64).
O Estado, enquanto descentraliza seu poder, possibilita a criação de novosformatos organizacionais, de novos públicos, possibilitando novas respostas da sociedade civil, às demandas de alguns de seus segmentos. Isso não significa como diz Fernandez ( 1995, P.396) “ colaborar com a privatização da problemática social” . Assim, a rede constitui uma alternativa de desenvolvimento social quando produz mudanças nas condições materiais de existência e na construção subjetivada realidade em cada um dos atores envolvidos.
Portanto, o conceito de gestão e de redes cria novas possibilidades de intervenção, gerando em cada um de seus membros a participação que viabiliza a reconstrução da sociedade civil. Ocasiona a criação de novas respostas aos problemas sociais, tornando mais eficaz a gestão social, articulando instituições e pessoas para construírem projetos para asociedade com objetivos comuns.
O Terceiro Setor é assim chamado porque engloba instituições com fins públicos, porém de caráter privado, que não se enquadram, portanto no Primeiro Setor (Estado). São regidas pelo direito privado, mas não possuem objetivos mercantis, também não sendo qualificadas como instituições do Segundo Setor (Mercado). Fazem parte do denominado espaço público não...
tracking img