Projeto de monografia juridica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2282 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Centro Universitário Padre Anchieta – UniAnchieta
Curso de Direito

Disciplina: Metodologia do Trabalho Científico

Professor:

CLAUDINEI COLETTI



PROJETO DE MONOGRAFIA JURÍDICA


Proponente:

ELAINE APARECIDA LOPES CRUZ 6º SEMESTRE ÚNICO (diurno)



Área do Direito:

DIREITO CIVIL



Objeto a ser analisado:

RESPONSABILIDADE CIVILDelimitação do tema:

RESPONSABILIDADE CIVIL MÉDICA



Orientador:

DR. CLAUDIO ANTONIO SOARES LEVADA



Aceitação do projeto de pesquisa
1. Pelo orientador: 2. Pela Coordenação de Monografias:


Data:___/___/___

Data: ___/___/___


APRESENTAÇÃO


O presente trabalho aborda-se a responsabilidade civil, que está vinculada diretamente comas relações jurídicas obrigacionais, em que aquele que causar dano outrem se deve ressarci-lo do prejuízo.
A responsabilidade Civil médica advém, também, desta disposição, existente em nosso ordenamento jurídico. Deve, pois, ser indenizado, caso isso postule em juízo, aquele que submetido a tratamento médico, venha, por causa deste tratamento, a sofrer um prejuízo, seja de ordemmaterial ou imaterial - patrimonial ou não patrimonial. (SOUZA, 2003).
Para entendimento do mecanismo jurídico da necessidade desta indenização, que pode o médico ser compelida a fazer, é necessário analisar os primeiros conceitos como responsabilidade objetiva e subjetiva. Após, os de relação contratual e relação extracontratual. Em terceiro lugar, os conceitos de meios e obrigação deresultados. (SOUZA, 2003)
Na grande maioria dos serviços prestados por profissionais liberais, o médico celebra um contrato, ainda que tácito, com o cliente, com a finalidade de consulta, tratamento, terapia ou cirurgia, que caracteriza um negócio jurídico contratual, oneroso e comutativo. (VENOSA, 2003, p.95).
Como quer que seja em princípio, podemos constatarque a relação médico-paciente se dá:

(I) - Em razão da procura do profissional para um determinado tratamento (relação contratual);
(II) - Em vista da atuação do médico em determinada situação imprevisíveis (relação extracontratual);
(III) - Estando o médico na qualidade de funcionário público em estabelecimento hospitalar estatal;
(IV) - por profissional que possui vínculo laboral comhospital privado. (ROSSI, 2009, p. 184 e 185)

Portanto, para o cliente é limitada a vantagem da concepção contratual da responsabilidade médica, porque o fato de não obter a cura do doente não importa reconhecer que o médico foi inadimplente. Isto porque a obrigação que tais profissionais assumem é de obrigação de “meio” e não de “resultado”. O objeto do contrato médico não é a cura,obrigação de resultado, mas a prestação de cuidados conscienciosos, atentos, e, salvo circunstância excepcional, de acordo com as aquisições da ciência. [...] (GONÇALVES, 2010, p.257)
No Direito Brasileiro a doutrina e a jurisprudências são unânimes em estabelecer que a atividade médica é regida pela responsabilidade subjetiva. Assim dispõe o art.186 do CC:

“Aquele que, por ação ouomissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.”
Na responsabilidade objetiva, ao contrário da anterior, não se exige prova da culpa para que haja reparação do dano. A culpa é presumida pela lei ou sua comprovação é dispensada.
Desta forma, é o que reza o parágrafo único do art.927 donovo código civil lei nº10. 406 impondo que:
“Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar, por sua natureza, riscos para os direitos de outrem.”
A responsabilidade civil será subjetiva; hipótese em que se fará a prova da culpa do agente para a imposição...
tracking img