Programa de habitacional

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1872 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Programa Habitacional Paraisópolis.

Figura xx:Vista aérea do Conjunto habitacional Paraisópolis. Fonte http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/paraisopolis/. (Acessoem 07/10/2012)

Ficha Técnica

* Projeto Programa Habitacional Paraisópolis
* Local: Paraisópolis, São Paulo / SP
* Data do Projeto:2008 / 2009
* Conclusão da Obra: 2010 / 2011
* Quantidades: 42 edifícios modulares 954 unidades habitacionais
* Área construída: 66.300,00m²
* Projeto de Arquitetura e Urbanismo Intra-Condominial Elito Arquitetos Associados Ltda. Arquitetos: Edson Elito Joana Fernandes ElitoCristiane Otsuka Takiy
* Projeto de Estrutura:Kurkdjian e FruchtengartenEngenheiros AssociadosLtda.

Implantação
O Programa Habitacional Paraisópolis, parte dele inaugurada em junho de 2011 pela Prefeitura do município de São Paulo, propôs através da secretaria de habitação uma grande intervenção urbanaem uma das maiores áreas de favelas do município. O programa vem projetandoaimplantação de vários prédios habitacionais em parte da área da favela.
Segundo a Secretaria municipal de Habitação, aárea em que hoje está situada a favela no ano de 1921, fazia parte da Fazenda Morumbi, área cuja qual foi parcelada em 2.200 lotes pela União Mútua Companhia Construtora e Crédito Popular S.A. Porém na época a infraestrutura do loteamento não foi completamente implantada e muito dos que adquiriram esses lotes nunca tomaram posse efetiva, nem pagaram os tributos devidos. Ou seja, como foiverificado diversas vezes na história de São Paulo, empreendimentos – públicos ou privados – que não tiveram sua implementação concluída, acabaram tornando-se regiões ermas, abandonadas. Dessa forma, tornaram-se um convite para a ocupação informal no inicio da década de 1950. Protagonizado principalmente por famílias japonesas (posseiros) que a transformaram em pequenas chácaras, além de atuarem comogrileiros.
Ao longo dos anos esta área foi totalmente ocupada sem nenhum planejamento ou controle,a intensificação tornou-se maior no final da década de1990, com o aumento populacional. Devido principalmente à migração de moradores de favelas próximas extintas pela Prefeitura, ocasião em que são adensadas as áreas do Grotão e Grotinho na Favela Paraisópolis (Figura xx). Hoje, o Complexo Paraisópolisé considerado a segunda maior favela da cidade de São Paulo, com 55.590 pessoas e 20.832 imóveis, além de uma rede de instituições civis que atuam em projetos sociais na favela conforme os dados fornecidos pela Secretária Municipal de Educação (COLOCAR A SIGLA), NO ANO DE XXXX.
ADILIO, TEM QUE SER ASSIM, COMO ESTÁ ACIMA, SEM PARÊNTESES, MAS TEM QUE TER O ANO QUE FOI DIVULGADO O DADO E DEPREFERÊNCIA A FONTE QUE DIVULGOU, SE NÃO TIVER A FONTE, TUDO BEM, MAS O MODO DE COLOCAR É ESSE.

Figura xx: Mapa da Formação das Favelas do Complexo Paraisópolis. Fonte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/paraisopolis/.(Acesso em 07/10/2012). OLH A NO MODELO SE ESTÁ COM PARÊNTESES OU SEM.
De acordo com OS DADOS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DIVULGADOS EM... NO ANO DE- SE NÃOTIVER OS DADOS TIRE E COLOQUE: DE ACORDO COM OS DOS FORNECIDOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE SÃO PAULO EM 199X,No início do século XXI, Paraisópolis já era a segunda maior favela paulistana, e começaria a receber investimentos públicos. Em 2005, foi iniciado um processo de urbanização e regularização dos imóveis construídos lá irregularmente. Há investimentos do poder público (Municipal, Estaduale Federal). A Prefeitura do Município de São Paulo vem atuando na área, realizando o processo de reurbanização e dotando a comunidade de infraestrutura e equipamentos urbanos e sociais.

O Projeto Habitacional para abrigar 1.000 famílias cujas casas estão sendo removidas nas áreas de reurbanização da Favela Paraisópolis, foca a inserção destes novos edifícios ao mesmo tempo integrando-os à...
tracking img