Profissional arquivista

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1555 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Visibilidade do arquivista no mundo do trabalho
Dados oficiais indicam que, no Brasil, existem arquivistas com formação formal, e a seguinte tabela mostra a distribuição do panorama quantitativo dos arquivistas, além da evolução dos cursos existentes.
Mapeamento quantitativo dos arquivistas no Brasil
Ano
Nº de cursos
Arquivistas
1977
1
27
1978
2
23 Uni-Rio
1979
2
39
1980
3
631981
3
30
1982
3
67
1983
3
53
1984
3
41
1985
3
63
1986
3
96
1987
3
81
1988
3
72
1989
3
29
1990
3
117
1991
4
71
1992
4
73
1993
4
75
1994
4
71
1995
4
118
1996
4
70
1997
5
115
1998
5
138
1999
6
140
2000
8
126
2001
8
209
2002
8
178
2003
9
309
2004
9
277
2005
9
258
2006
10
311
2007
10
319
2008
15
304
2009
15
347
201015
365
2011
16
231
TOTAL
213
4906


















Dados: MEC/Inep. Tabela elaborada pelo Inep/DTDIE, obtidos em 2009 e Coordenação do curso de Arquivologia da UFSM, Uni-Rio, UFF, UnB, UEL, UFBA e UFES.
Fonte:



REGISTRO PROFISSIONAL DOS ARQUIVISTAS (http://www.sinarquivo.org.br/arquivistalegal.html)

Apesar de não possuir Conselho Profissional, a Lei nº6.546/78, que regulamenta as profissões de Arquivista e Técnico de Arquivo, é bem clara ao determinar o que é necessário para o exercício legal da profissão:
 
“Art. 4º - O exercício das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo depende de registro na Delegacia Regional do Trabalho do Ministério do Trabalho.”.
 
As solicitações contra irregularidades cometidas por aqueles que exercemirregularmente a profissão ou desrespeitam o que prevê a lei, ganham mais respaldo quando os profissionais da área fazem valer seu direito e se registram. Além de legitimar a atuação junto ao mercado de trabalho, isto contribui para que os órgãos governamentais tenham um quadro real de quantos arquivistas existem atualmente habilitados para o exercício da profissão.
O índice comparativo dos graduados edaqueles arquivistas com registro
profissional revela uma diferença significativa. Inicialmente, se concedeu o registro aos profissionais que obtiveram a denominação de arquivista em cumprimento da lei de reconhecimento da profissão. Entretanto, somente uma parte dos arquivistas com formação efetua o registro profissional. Os arquivistas que efetuaram seus registros de trabalho estão distribuídosno Brasil de acordo com a seguinte tabela:

UF
Arquivistas com registro profissional
AL
4
AM
3
BA
40
DF
141
ES
65
GO
1
MA
2
MS
4
MT
2
PA
1
RJ
524 (453)
RN
4
RS
104
SC
2
SP
27
TOTAL
1327










Fonte: Ministério do Trabalho. Abril/2009.
O membro da federação com maior indicativo de registros profissionais é o estado do Rio de Janeiro, no qual estãodois dos três cursos mais antigos, além de congregar as instituições federais, estaduais e municipais durante o período no qual foi a capital do país.
Com a ausência de um Conselho Profissional, o arquivista deixa de ter a obrigatoriedade de efetuar seu registro profissional, revelado pelos baixos índices em todo Brasil e registrados na tabela acima.

REFLEXOS DO BRASIL: OS ARQUIVISTAS NOMUNDO DO TRABALHO

Para conhecer o universo dos arquivistas brasileiros, optou-se pela Identificação por meio dos contatos pessoais e das listas de discussões comuns à arquivística. Outra possibilidade foi investigar o site de relacionamento Orkut (www.orkut.com )" e suas comunidades" profissionais. As comunidades de Arquivologia existentes congregam alunos, graduados em Arquivologia, professores,profissionais de áreas afins e outros.
Além de realizar buscas nos diversos sites da Web, uma grande parte das
direções eletrônicas foi obtida por meio dos arquivistas que mantêm contatos
com os companheiros de carreira. A pesquisa esteve disponível para os arquivistas de novembro de 2008 até abril de 2009, na página do questionário, http://www.cid.unb.br/arquivista/index.asp . O recolhimento...
tracking img