Processador neander-x

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 60 (14862 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Centro Federal de Educação
Tecnológica de Santa Catarina
Gerência Educacional de Eletrônica

TOMOGRAFIA
COMPUTADORIZADA
CURSO TÉCNICO DE RADIOLOGIA

Prof. Flávio Augusto Soares, M.Eng.
Prof. Henrique Batista Lopes, M.Eng.
Edição 2002

SINE/SC – SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO
CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA
DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS
GERÊNCIAEDUCACIONAL DE ELETRÔNICA
NÚCLEO DE TECNOLOGIA CLÍNICA

FUNDAÇÃO DO ENSINO TÉCNICO DE SANTA CATARINA

Instituições Envolvidas em Blumenau

HOSPITAL SANTA CATARINA
HOSPITAL SANTA ISABEL
HOSPITAL MUNICIPAL SANTO ANTÔNIO

Impresso na Gráfica do CEFET/SC

ÍNDICE
1. TOMÓGRAFO COMPUTADORIZADO
1.1
1.2
1.3

INTRODUÇÃO
PRINCÍPIO BÁSICO
EVOLUÇÃO DAS GERAÇÕES
1.3.1.
1.3.2.
1.3.3.
1.3.4.1.3.5.
1.3.6.
1.3.7.

1.4
1.5

1
1
1
2

Sistema de Rotação-Translação de Detector Simples
Sistema de Rotação-Translação de Múltiplos Detectores
Sistema de rotação com detectores móveis
Sistema de rotação com detectores fixos
Sistema de rotação helicoidal
Sistema de canhão de elétrons
Tomógrafo Móvel

SISTEMA TOMOGRÁFICO
PORTAL

5
6

1.5.1. Cabeçote

1.6

6

SENSORES DERAIOS X

8

1.6.1. Sensores de Estado Sólido
1.6.2. Câmaras de Ionização

1.7
1.8
1.9

8
9

COLIMAÇÃO
SISTEMA ELÉTRICO
EXERCÍCIOS

10
11
11

2. FORMAÇÃO DO TOMOGRAMA
2.1
2.2

13

INTRODUÇÃO
REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM

13
13

2.2.1. Matriz da imagem
2.2.2. Elementos Fotográficos

2.3

13
13

RECONSTRUÇÃO DA IMAGEM

15

2.3.1. Obtenção dos Dados
2.3.2.Cálculo da matriz tomográfica

2.4

2.5
2.6

15
16

CONFECÇÃO DA MATRIZ DA IMAGEM
2.4.1.
2.4.2.
2.4.3.
2.4.4.
2.4.5.
2.4.6.
2.4.7.

17

Resolução matricial
Retroprojeção
Efeito estrela
Valores de densidade
Escala Hounsfield
Densitometria
Tempo de aquisição

17
18
19
20
20
20
20

VARIAÇÃO DA IMAGEM
EXERCÍCIOS

21
23

3. OPERAÇÃO DO TOMÓGRAFO
3.1
3.2
3.33.4
3.5
3.6
3.7

25

INTRODUÇÃO
CONSOLE DE OPERAÇÕES
CONTROLE DE MENU
CONTROLE DE VARREDURA
PROTOCOLOS DE VARREDURA
MANIPULAÇÃO DE DADOS
PROCESSAMENTO DA IMAGEM

© Copyright CEFET/SC

2
2
2
3
3
3
4

25
26
26
27
28
28
29

Núcleo de Tecnologia Clínica

pág. iv

3.8 GRÁFICOS SOBRE A IMAGEM
3.9 CONTROLE DA JANELA
3.10 CONTROLES DO TRACKBALL

4. BIBLIOGRAFIA30
31
32

33

Núcleo de Tecnologia Clínica

© Copyright CEFET/SC

1. TOMÓGRAFO COMPUTADORIZADO
1.1

INTRODUÇÃO

Nos últimos 40 anos nenhum outro avanço
na área de raios X diagnóstico foi tão significativo
quanto o desenvolvimento da tomografia computadorizada (TC). Já no final da década de 1950, os componentes para a construção de um TC estavam
disponíveis para médicos eengenheiros. Porém, somente em 1967, o processo
tomográfico como um todo
foi apresentado pelo engenheiro britânico Godfrey
Hounsfield. Hounsfield trabalhava na empresa britânica
EMI Ltda quando foram
montados os primeiros TC
para teste. Outro que ajudou
no desenvolvimento do tomógrafo
computadorizado
foi o sul-africano Allan M.
Cormack, que desenvolveu a Fig. 1.1. Sir Godfrey
matemáticanecessária para a
Hounsfield.
reconstrução das imagens
tomográficas. Cormack e Hounsfield foram agraciados com o Prêmio Nobel de Medicina no ano de
1979 por suas contribuições para o desenvolvimento
do Tomógrafo Computadorizado.

1.2

junto cabeçote-detector faz uma translação ou
rotação em torno do paciente, as estruturas internas
do corpo atenuam o feixe de raios X de acordo com a
densidadee número atômico de cada tecido. A intensidade da radiação detectada pelos sensores de raios
X varia de acordo com esse padrão e forma uma lista
de intensidades para cada projeção. No final da translação ou rotação o conjunto cabeçote-detector retorna
para a posição inicial, a mesa com o paciente se movimenta em alguns milímetros, e o tomógrafo começa uma nova varredura. Este processo é...
tracking img