Pomba gira e as faces inconfessas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 39 (9749 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pombagira e as faces inconfessas do Brasil

Reginaldo Prandi

Do livro de Reginaldo Prandi, Herdeiras do Axé.
São Paulo, Hucitec, 1996, Capítulo IV, pp. 139-164.

I: Personagens de duvidosa moralidade:

O Brasil tem uma larga tradição católica de devoção aos santos, com os quais os fiéis
estabelecem relações de favor e de troca que presumem sempre uma certa intimidade com as
coisas domundo sagrado (Camargo et alii, 1973). Com o espraiamento das tradições afrobrasileiras no curso deste século, parece que esta intimidade com personagens do mundo sagrado
— agora sobretudo com divindades afro-brasileiras, com as quais os santos se sincretizam, mais
os espíritos dos mortos — teria se intensificado. De fato, há uma infindável lista de famílias ou
classes de entidadessobrenaturais com que fiéis brasileiros podem estabelecer relações religiosas
e mágicas e contatos personalizados, especialmente através de cerimônias em que essas entidades
se apresentam através do transe de incorporação: os caboclos, pretos-velhos, ciganos, príncipes,
marinheiros, guias de luz, espíritos das trevas, encantados, além dos orixás e voduns.
Pombagira, cultuada nos candomblés e umbandas, éum desses personagens muito
populares no Brasil. Sua origem está nos candomblés, em que seu culto se constituiu a partir de
entrecruzamentos de tradições africanas e européias. Pombagira é considerada um Exu feminino.
Exu, na tradição dos candomblés de origem predominantemente iorubá (ritos Ketu, Efan, Nagô
pernambucano) é o orixá mensageiro entre os homens e o mundo de todos os orixás. Osorixás
são divindades identificadas com elementos da natureza (o mar, a água dos rios, o trovão, o arco-

íris, o fogo, as tempestades, as folhas etc.) e sincretizados com santos católicos, Nossa Senhora e
o próprio Jesus Cristo. Assim, Oxalá, o maior dos orixás, divindade da criação, é sincretizado
com Jesus, Iemanjá, a Grande Mãe dos orixás e dos brasileiros, com Nossa Senhora da
Conceição.Exu, o orixá trickster, o que deve ser sempre homenageado em primeiro lugar, o
orixá fálico, que gosta de confundir os homens, que só trabalha por dinheiro, é aquele
sincretizado com o Diabo.1
Na língua ritual dos candomblés angola (de tradição banto), o nome de Exu é
Bongbogirá. Certamente Pombagira (Pomba Gira) é uma corruptela de Bongbogirá, e esse nome
acabou por se restringir à qualidadefeminina de Exu (Augras, 1989). Na umbanda, formada nos
anos 30 deste século do encontro de tradições religiosas afro-brasileiras com o espiritismo
Kardecista francês, Pombagira faz parte do panteão de entidades que trabalham na "esquerda",
isto é, que podem ser invocadas para "trabalhar para o mal", em contraste com aquelas entidades
da "direita", que só seriam invocadas em nome do "bem"(Camargo, 1961: Prandi, 1991a).
Dona Pombagira, que tem um lugar muito especial nas religiões afro-brasileiras, pode
também ser encontrada nos espaços não religiosos da cultura brasileira: nas novelas de televisão,
no cinema, na música popular, nas conversas do dia-a-dia. Por influência kardecista na umbanda,
Pombagira é o espírito de uma mulher (e não o orixá) que em vida teria sido uma prostitutaou
cortesã, mulher de baixos princípios morais, capaz de dominar os homens por suas proezas
sexuais, amante do luxo, do dinheiro, e de toda sorte de prazeres.
No Brasil, sobretudo entre as populações pobres urbanas, é comum apelar a
Pombagira para a solução de problemas relacionados a fracassos e desejos da vida amorosa e da
sexualidade, além de inúmeros outros que envolvem situações deaflição. Estudar os cultos da
Pombagira permite-nos entender algo das aspirações e frustrações de largas parcelas da população
que estão muito distantes de um código de ética e moralidade embasado em valores da tradição

1 Este artigo resulta de um projeto mais amplo de pesquisa sobre religiões afro-brasileiras que venho realizando
desde 1987 em terreiros de candomblé e umbanda de São Paulo....
tracking img