Poliomielite

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1510 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
POLIOMIELITE















































POLIOMIELITE























Aluna: Marcilene Maria Mendes Nunes

Professora: Kátia Paes Barros

Turma: Técnica Enfermagem

Curso: Técnica Enfermagem

ÍNDICE

INTRODUÇÃO 3

CAPITULO I – POLIOMIELITE 4

1.1 Conceito da doença4

1.2 Agente etiológico 4

1.3 Fonte de infecção 4

1.4 Período de incubação 5

1.5 Modo de transmissão 5

1.6 Quadro clinico 6

1.7 Tratamento 6

1.8 Cuidados de enfermagem 7

CONCLUSÃO9

REFERÊNCIAS 10























INTRODUÇÃO

A Poliomielite, geralmente chamada de pólio, é uma infecção altamente contagiosa causada pelo póliovirus. Em uma porcentagem pequena de pessoas infectadas, o vírus ataca as células nervosas no cérebro ena espinha dorsal, particularmente as células nervosas da espinha dorsal que controlam os músculos envolvidos nos movimentos voluntários como caminhar. A destruição destes neurônios causa paralisia permanente em um em cada 200 casos.









































CAPÍTULO I - POLIOMIELITE

1.1 - Conceito da doença

A poliomielite,também conhecida como pólio ou paralisia infantil, é uma doença viral altamente contagiosa, que afeta principalmente crianças pequenas.

1.2 - Agente etiológico
Os poliovírus pertencem ao gênero enterovírus, da família Picornaviridae, e apresentam três sorotipos: I, II e III.
1.3 - Fonte de infecção
Os poliovírus multiplicam-se em diferentes células do indivíduo até chegar às célulasalvo, as células nervosas da espinal medula e do sistema nervoso central. Tem-se conhecimento de que a patogenicidade deste vírus é baixa e, na maior parte dos casos, a infecção é assintomática. Neste caso, existe a formação de anticorpos neutralizantes (ACNT), protetores de infecções futuras resultantes da infecção pelo mesmo vírus (imunidade causada por infecção com poliovírus).

Opoliovírus, introduzido por via oral, penetra na mucosa orofaríngea (onde permanece durante um período de uma ou suas semanas) ou intestinal. Dirige-se às amígdalas e nódulos linfáticos cervicais ou às células linfoides das placas de Peyer, que se encontram subjacentes à mucosa intestinal e nos nódulos mesentéricos, onde se multiplica. Destes locais pode passar, através da circulação sanguínea – virémia –(onde pode permanecer por um período de uma semana) para os nódulos linfáticos regionais, à espinal medula ou ao sistema nervoso central (SNC). Estes passos realizam-se devido ao fato dos poliovírus se ligarem aos receptores localizados nas células da nasofaringe, do trato intestinal e nas células da região anterior do corno da espinal medula, penetrando depois os neurônios por endocitose. Areplicação viral na espinal medula causa efeitos citopáticos e lesões nas células afetadas, conduzindo à morte celular, resultando em paralisia.



O vírus apresenta um elevado tropismo por neurônios motores do corno anterior da medula espinal. Pode também atingir neurônios motores ou de centros reguladores no tronco cerebral (exemplo: centro respiratório) e neurônios motores no giropré-central. A partir do momento em que o vírus atinge o citoplasma, o RNA viral interage com os ribossomos, produzindo proteínas virais. Em poucas horas o neurônio sofre necrose e liberta dezenas de milhares de novos vírus. Este modo de libertação explica o rápido aparecimento das paralisias.

Verifica-se, macroscopicamente na fase aguda da doença, congestão e em casos mais graves necrose...
tracking img