Polaridade, densidade e solubilidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2031 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Atividade experimental: Polaridade, solubilidade e densidade.

Objetivo: Observar a diferença de polaridade, densidade, solubilidade entre as moléculas dos reagentes utilizados nas experiências práticas.




1 Referencial Teórico:




Em alguns casos de misturas de reagentes pode ocorrer uma solução de uma ou duas fases, que é ocasionado pela diferença da polaridadedas substâncias envolvidas.
Também pode se encontrar uma mistura com mais de duas fases, o que ocorre pela má homogeneização dos reagentes, um exemplo, é a não mistura das substâncias contidas no meio, além dos casos onde há um soluto insolúvel ou elemento em estado diferente.
A melhor forma para identificar se a molécula é polar ou apolar é através do calcúlo vetorial. Se ele forigual a zero a molécula é apolar e se for diferente de zero será polar.
Quando se tem uma mistura de dois reagentes cuja polaridade é diferente, o mais denso sempre tende a ficar embaixo, tendo em vista o fato da massa relativa do reagente que está abaixo ser menor do líquido que é sobrenadante.
Substâncias químicas são solúveis entre si se, uma vez que misturadas, não temos comodistinguir duas ou mais fases, um exemplo é a mistura do álcool e da água. Já as insolúveis entre si, podemos perceber pelas diferentes partes.











2 Riscos Toxicológicos


2.1 Iodo


Inalação: o vapor de iodo é bastante irritante, sendo os vapores de iodo sob a forma de I2 e iodo metilado absorvidos. Existem dados que revelam que concentrações de 0,1 ppmdeste elemento são toleradas; concentrações de 0,15 e 0,20 ppm tornam-se difíceis de tolerar e concentrações de 1 ppm são extremamente irritantes.
Contato com a pele: no estado cristalino ou soluções muito concentradas de iodo são muito irritantes para a pele, isto porque quando o iodo é colocado sobre a pele esta tem a capacidade de o absorver.
Contato com os olhos: pode causarirritação ou danos nos olhos bastante graves. Vapores de iodo em concentrações de 0,57 ppm são tolerados durante cinco minutos, aproximadamente, sem provocar irritação.
Ingestão: quando ingerido na forma de sólido ou de soluções muito concentradas traduz-se, essencialmente, sinais de causticidade no tubo digestivo, como queimaduras e dores na boca e ao longo do esófago, vómitos e diarreia, sede,sabor metálico, choque, febre, anúria, delírio, coma e morte devido a falência renal.


2.2 Tetracloreto de Carbono


Embora a produção e o uso do tetracloreto de carbono sejam declinar, os locais industriais e dos resíduos perigosos permanecem como fontes de exposição. Os trabalhadores que usam o tetracloreto de carbono ou os produtos que o contêm estão no risco o mais elevado deexposição. Os diabéticos e as pessoas que bebem o álcool podem ter um risco aumentado de efeitos adversos depois da exposição ao tetracloreto de carbono. A exposição aguda pode conduzir à depressão rápida do sistema nervoso central. Os sintomas da toxicidade hepática e renal podem levantar-se um a quatro dias mais tarde. O tetracloreto de carbono é considerado um agente carcinogênico possível. Aremoção da fonte de exposição e da vacância de outros hepatotoxicantes é o único tratamento para a toxicidade crônica do tetracloreto de carbono.


2.3 Tolueno


O tolueno pode afetar o sistema nervoso. É facilmente absorvido pelos pulmões (40 a 60% do inalado). Níveis baixos ou moderados podem produzir cansaço, confusão mental, debilidade, perda da memória, náusea, perda do apetitee perda da visão e audição. Estes sintomas geralmente desaparecem quando a exposição termina.
Inalar níveis altos de tolueno por um período pode produzir sonolência e até mesmo perda de consciência.


2.4 Sulfato de Cobre:


Ingestão: A ingestão aguda de uma dose de sulfato de cobre pode causar salivação, náusea, vômito, dor de estômago. Outros sintomas de intoxicação...
tracking img